Covid-19: Bolsonaro atrasou negociação de vacina chinesa em três meses - Plataforma Media

Covid-19: Bolsonaro atrasou negociação de vacina chinesa em três meses

O director do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse ontem que as negociações para a aquisição da vacina CoronaVAc, contra a covid-19, ficaram paradas no Brasil durante três meses, após o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, ter declarado que não a compraria.

Segundo o depoimento de Covas à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado brasileiro, que investiga as ações do Governo brasileiro na pandemia de covid-19, no dia 7 de outubro de 2020 o Instituto Butantan fez uma oferta de 100 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde do Brasil.

“Houve uma sinalização de que poderíamos evoluir, inclusive com a produção de uma medida provisória (…) Tudo estava indo muito bem. Tanto que em 20 de outubro, fui convidado pelo [ex] ministro [da Saúde brasileiro, Eduardo] Pazuello para uma cerimónia na qual a vacina seria anunciada”, disse Covas.

“No outro dia de manhã, quando ainda haveria conversas adicionais, essas conversas adicionais não aconteceram porque o Presidente Jair Bolsonaro disse que não haveria continuação nesse processo”, acrescentou.

Leia mais em Hoje Macau

Related posts
BrasilSociedade

Covid-19: Maioria de óbitos no Brasil já é no grupo com menos de 60 anos

BrasilPolítica

Covid-19: Bolsonaro diz que infeção é mais eficaz do que vacina contra o vírus

BrasilSociedade

Brasil aplica mais 2,2 milhões de doses de vacinas contra Covid em um dia, maior marca até o momento

BrasilSociedade

Brasil receberá 7 milhões de doses da vacina da Pfizer antecipadamente

Assine nossa Newsletter