BNA mantém política para baixar a inflação - Plataforma Media

BNA mantém política para baixar a inflação

O Banco Nacional de Angola (BNA) decidiu aplicar, este ano, uma política monetária prudente e de natureza restritiva, com vista a baixar a inflação para uma taxa situada em torno de um dígito, anunciou ontem, em Luanda, o governador da instituição, no fim de uma reunião de dois dias do Comité de Política Monetária (CPM).

José de Lima Massano disse à imprensa que o CPM analisou a evolução do programa de ajustamento para o regime de câmbio flexível, tendo destacado os resultados do saldo superavitário da Corrente da Balança de Pagamentos. Tal resultado, considerou, é reflexo do papel desempenhado pela taxa de câmbio na absorção do choque externo resultante da queda das receitas de exportação em cerca de 41 por cento, quando o volume de importação de bens alimentares caiu numa média de 40 por cento.

O CPM analisou o comportamento recente e as perspectivas dos principais indicadores económicos, bem como o impacto das medidas de política macroeconómica e estrutural sobre os diferentes sectores da economia.O Comité destacou a redução do diferencial entre as taxas de câmbio praticadas nos mercados cambiais formal e informal de 22,97 por cento, em 2019, para 14,4 por cento, em 2020, bem como a eliminação da sobrevalorização artificial do kwanza em relação às moedas dos principais parceiros comerciais de Angola, tendo o hiato da taxa de câmbio real efectiva se situado próximo do equilíbrio.”Em relação ao kwanza, as notícias são boas: fizemos, desde 2018, um esforço de ajustamento, porque a moeda estava sobrevalorizada em torno de 70 por cento, o que tirava sentido a produção nacional, porque era mais barato importar”, disse.  

Leia mais em Jornal de Angola

Artigos relacionados
AngolaEconomia

Falta dinheiro nas caixas automáticas em Luanda e Banco Nacional não dá explicações

AngolaEconomia

Banco de Angola alerta para perfis falsos nas redes sociais

Angola

Angola: Valter Filipe e Zenu dos Santos conhecem hoje a sentença

AngolaSociedade

Caso 500 milhões: Zenu dos Santos conhece sentença sexta-feira

Assine nossa Newsletter