Zona africana de comércio livre arranca em janeiro de 2021 Economia

Zona africana de comércio livre arranca em janeiro de 2021

Os líderes africanos decidiram confirmar o próximo dia 1 de janeiro como data para o arranque da Zona de Comércio Livre Continental Africana (AfCFTA), como previsto.

A decisão foi assumida durante uma cimeira virtual extraordinária da União Africana dedicada à Zona de Comércio Livre Continental Africana, sob a presidência do Presidente sul-africano Cyril Ramaphosa, realizada no passado fim-de-semana.

“Apelamos às mulheres, jovens, empresas, sindicatos, sociedade civil, comerciantes transfronteiriços, a academia, a diáspora africana e outras partes interessadas para se juntarem a nós, enquanto governos, neste esforço histórico de criar a África que queremos em linha com a Agenda 20276 da União Africana”, afirmaram os líderes numa declaração no final da 13ª Cimeira Extraordinária da organização.

Os líderes reafirmaram a determinação em aprofundar a integração continental através do AfCFTA e elogiaram a contribuição dos ministros africanos do Comércio nos preparativos para o lançamento da zona de comércio livre, a 1 de Janeiro de 2021.

Falando na abertura do encontro, o Presidente angolano, João Lourenço, sublinhou a importância de se fazer avançar a integração económica do continente africano, tendo em conta que o atual nível de comércio é inferior ao potencial instalado.

“Angola considera importante avançar com este processo de integração económica ao nível do continente, tendo em conta as oportunidades que oferece para a integração da classe empresarial angolana nos mais diversos sectores produtivos do continente e, desta forma, utilizando esta plataforma como um polo de atracão de investimentos, tanto diretos como bolsistas ”, afirmou o chefe de Estado angolano.

Segundo João Lourenço, no âmbito do acordo que criou a AfCFTA, Angola está a “desenvolver o processo interno de elaboração da proposta de desmantelamento das tarifas nacionais, com base nas modalidades negociadas adotadas para o comércio de mercadorias, e então estabelecer o roteiro para o comércio de serviços”. 

Na qualidade de presidente da União Africana, Cyril Ramaphosa disse que o início da zona de comércio livre é um dos “marcos mais significativos” no projeto de integração continental e a afirmação mais clara de que a África está determinada a assumir o controlo do próprio destino.

Ramaphosa descreveu o AfCFTA como um grande edifício que mantém os sonhos e aspirações coletivas de África por um continente integrado e próspero.  

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter