Os doentes da América do Norte - Plataforma Media

Os doentes da América do Norte

No dia 29 de novembro foi organizada em frente ao Museu Lin Zexu, no Templo budista Lin Fung, uma cerimónia de celebração do 181º aniversário da primeira visita de Lin Zexu a Macau, considerado um herói nacional e um pioneiro no controlo de drogas. Este evento, segundo a organização, procura combater o consumo de drogas e educar a população local sobre os métodos de deteção e controlo destas substâncias. 

A China sofreu muito ao longo do último século devido ao consumo de drogas. Grande parte da população ficou dependente de opiáceos, afetando até o próprio exército, conhecido por ser constituído por imensos fumadores e dando ao país a alcunha de “doentes da Ásia”.

Os estados americanos de Oregon e Washington anunciaram recentemente que descriminalizarão as drogas pesadas depois de já terem legalizado a cannabis. Desde a eleição de Joe Biden, as drogas pesadas como a cocaína romperão os limites da justiça americana, criando a base para uma América doente.

Atualmente os EUA consomem mais de metade da capacidade de produção de drogas mundial, consumindo anualmente cerca de 16 mil toneladas de canábis, cocaína e heroína. Um em cada 11 americanos é toxicodependente, e mais de um sexto da população já consumiu algum tipo de drogas durante a vida. 

Há cerca de 200 anos atrás destruíram a população chinesa com opiáceos, agora estão a fazer o mesmo, mas o alvo são os próprios EUA. Os EUA também são um inimigo, não só a China. Estas são as famílias mais importantes dos EUA, e a força por detrás de Biden. O seu maior medo é que os “rednecks” se apercebam da realidade e, tal como aconteceu na Alemanha, os destruam por completo. Por isso nunca irão unir-se às classes sociais baixas, não descriminam entre brancos e negros. O que importa é entreter os mais pobres e destruí-los com o consumo de drogas. Mantendo a desordem na base da pirâmide social diminuem a respetiva energia e capacidade de ascensão, isto consolida o seu poder e ao mesmo tempo gera lucro.

A descriminalização das drogas terá um efeito positivo para Biden, no mínimo porque foi graças às medidas liberais de drogas dos democratas que este recebeu o apoio de toxicodependentes e de grupos que beneficiam deste consumo na corrida à Casa Branca. No passado o comércio de ópio deu início à história humilhante da China como “os doentes da Ásia”, agora a descriminalização da cocaína no início do século XXI dá início à era dos EUA como “os doentes da América do Norte”. Trump brinca com armas, Biden brinca com drogas, e os EUA irão agora mais do que nunca ser dominados por estes dois fatores. 

‭*Editor senior do canal chinês do Plataforma

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
Opinião

Paisagens inigualáveis

Opinião

O americano mais admirado

Opinião

O possível efeito dominó do Brexit

Opinião

Cuidado com a cultura das drogas

Assine nossa Newsletter