Uma das coleções de esculturas mais misteriosas do planeta é enfim revelada

por Rute Coelho
Marianna Giusti/Financial Times

Seleção de 96 estátuas pertencentes à família Torlonia ganha exposição em meio à pandemia da Covid-19

“Um imenso tesouro de erudição e arte, recolhido em silêncio ao longo de muitos, muitos anos”, é como o arqueólogo Pietro Ercole Visconti descreveu, em 1881, aquilo que hoje é descrito como a coleção das coleções: os Mármores Torlonia. Por 400 anos, poucos e seletos visitantes puderam desfrutar deles, por trás de portas fechadas. Até agora.

Os Mármores Torlonia —uma impressionante coleção de 620 esculturas gregas e romanas— são estátuas, sarcófagos, baixos-relevos e bustos em már

more, bronze e alabastro, retratando um rico conjunto de figuras mitológicas, deuses, deusas e poderosos imperadores romanos.

A influente família Torlonia —que administrava as finanças do Vaticano— adquiriu coleções existentes de outras famílias aristocráticas que enfrentavam dificuldades financeiras e descobriu esculturas adicionais ao promover escavações arqueológicas em terras que lhe pertenciam.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!