Ajuda urgente para Moçambique: ONU pede 4,7 milhões para socorrer vítimas de conflitos - Plataforma Media

Ajuda urgente para Moçambique: ONU pede 4,7 milhões para socorrer vítimas de conflitos

O Programa Mundial de Alimentos (PMA), informou que está preocupado com a situação em Cabo Delgado, no norte de Moçambique. A agência da ONU atua na área, que sofre uma crise humanitária após a intensificação da violência na região. 

De acordo com o PMA, sem financiamento adicional, a agência terá que reduzir a distribuição de alimentos já em dezembro. 

Em comunicado, a representante do PMA em Moçambique, Antonella D’Aprile, afirmou que a crescente insegurança e infraestrutura deficiente tornam difícil fazer chegar ajuda aos deslocados. Vincando que com a covid-19, a distribuição de alimentos tornou-se ainda mais complexa. 

Desde 2017, Cabo Delgado tem sofrido com ataque de grupos armados que resultam em perda de vidas e danificaram severamente a infraestrutura da província. 

Em fuga

Milhares de pessoas fugiram para a Tanzânia, e analistas já manifestaram preocupação com uma regionalização do conflito. 

O PMA lembra que com a violência e a insegurança, as comunidades perderam o acesso a alimentos e fontes de rendimento. A situação pode ficar ainda mais grave para as mulheres e crianças. 

A província de Cabo Delgado tem a segunda maior taxa de desnutrição crónica do país. Ali, mais da metade das crianças menores de cinco anos sofrem de desnutrição crónica.  

Milhares de deslocados internos procuram refugio nas províncias e países vizinhos. O PMA em colaboração com governo tem como plano atingir 310 mil pessoas por mês nas províncias de Cabo Delgado, Nampula e Niassa com alimentos, apoio nutricional e vouchers. 

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
MoçambiqueSociedade

Abate de 270 terroristas em Cabo Delgado liderado por homem de 80 anos

MoçambiqueSociedade

Sexo por alimentos. O drama das mulheres em Cabo Delgado

MoçambiqueSociedade

"Pemba está saturada e não há condições para receber mais deslocados"

MoçambiqueSociedade

Cabo Delgado: Até 1.000 refugiados por dia chegam de barco a Pemba

Assine nossa Newsletter