Gabinete de Bolsonaro na Câmara manteve vaivém suspeito de salários

Gabinete de Bolsonaro na Câmara manteve vaivém suspeito de salários e verbas

Jair Bolsonaro

Documentos mostram sucessivas trocas de cargos de assessores e exonerações de fachada, prática que acabou banida pela Casa

A análise dos documentos relativos aos 28 anos em que Bolsonaro foi deputado federal, de 1991 a 2018, mostra uma intensa e incomum rotatividade salarial de seus assessores. Esta atingindo cerca de um terço das mais de cem pessoas que passaram por seu gabinete nesse período.

O modelo de gestão incluiu ainda exonerações de auxiliares que eram recontratados no mesmo dia. Prática que acabou proibida pela Câmara dos Deputados sob o argumento de ser lesiva aos cofres públicos.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Artigos relacionados
BrasilPolítica

Quebra de sigilo revela 27 depósitos da família Queiroz a Michelle Bolsonaro

BrasilPolítica

Farto de críticas à política ambiental brasileira, ministro lembra: "EUA mataram índios"

BrasilPolítica

STF decide que acúmulo de pensão e aposentadoria não pode superar teto do funcionalismo

BrasilPolítica

Filho de Bolsonaro admite que assessor lhe pagava despesas pessoais

Assine nossa Newsletter

Vale a pena ler...
Juiz dá 48h para Bolsonaro manifestar-se sobre proteção a índios