Refinaria de Cabinda a caminho em tempos de tensão - Plataforma Media

Refinaria de Cabinda a caminho em tempos de tensão

A fase preliminar de construção da Refinaria de Cabinda, cuja data de conclusão está prevista para 2023, acaba de ser concluída. Um passo em frente dado pela Gemcorp.

Até ao final de Maio a empresa fez a limpeza do local, tendo efetuado, com a ajuda das autoridades, oa desminagem e tratamento do terreno com 38 hectares onde a refinaria será construída, avança

Ao mesmo tempo, foram fechados o layout e o estudo de engenharia do projeto, onde se inclui o design de uma unidade de destilação de 30.000bbl/d de petróleo bruto, um tratamento de merox de querosene para Jet A1, tanques de armazenamento e ainda outras infra-estruturas de apoio. Foi ainda adicionado ao projeto um sistema de pipeline e de bóia de amarração, que permitirá a atracação de navios de grande porte junto da refinaria para abastecimento.

A decisão de incluir este pipeline, leva a Gemcorp, em conjunto com a Sonaref, a aumentar o investimento inicial mais 30 milhões de dólares norte-americanos e de atribuir à Refinaria de Cabinda uma mais valia importante para o mercado nacional, diversificando-o.

Recorde-se que a Gemcorp assinou no início desdte ano um acordo com a Sonaref, empresa subsidiária da Sonangol, para a construção da refinaria na planície de Malembo, 30 quilómetros a norte da cidade de Cabinda. Fontes ligadas ao projecto já admitiram que o início deve arrancar em Agosto deste ano.

O enclave de Cabinda tem sentido nos últimos dias alguma turbulência interna com conflitos armados entre a Frente de Libertação do Estado de Cabinda (FLEC) e as forças militares do Governo angolano, com mortes a lamentar para cada um dos lados e de civis.

Related posts
AngolaSociedade

Independentistas de Cabinda reivindicam ter matado sete soldados angolanos

AngolaSociedade

FLEC-FAC preocupada com silêncio da CPLP sobre província angolana de Cabinda

Brasil

Regulador aprova primeira venda de uma refinaria da brasileira Petrobras

AngolaPolítica

Ativista de Cabinda libertado após sete meses diz que detenções são recorrentes

Assine nossa Newsletter