Deputados esperam mais cooperação com Hengqin - Plataforma Media

Deputados esperam mais cooperação com Hengqin

Aprofundar a ligação de Macau a Hengqin, participar na construção do plano da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau e reforçar o papel da cidade, enquanto plataforma na ligação entre a China e os Países de Língua Portuguesa (PLP) são algumas das prioridades da delegação local à sessão da Assembleia Popular Nacional (APN), durante a partida para Pequim. O PLATAFORMA com dois dos delegados.

Kevin Ho, um dos 12 delegados da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) à sessão da APN, avançou que vai sugerir ao Governo central para formular mais políticas para beneficiarem Macau, assim como a criação de uma Zona de Cooperação Profunda com a ilha de Hengqin, na cidade vizinha de Zhuhai.

“Muitas empresas estatais domésticas e empresas privadas querem expandir negócios no exterior e instituições estrangeiras têm preocupações com o sistema continental. O estabelecimento de uma Zona de Cooperação Profunda Guangdong-Macau em Hengqin, que ponha em prática o sistema de Macau, pode resolver este problema. É isso que esperamos obter do Congresso Nacional do Povo”, disse.

O empresário lembrou também que o regulamento do Fundo de Cooperação e Desenvolvimento China-Países de Língua Portuguesa (PLP), criado pela China no âmbito do Fórum Macau, gera dificuldades para ajudar as pequenas e médias empresas (PME´s) locais a aderir à plataforma China-PLP.

Para Kevin Ho, antes de dar uma maior contribuição ao desenvolvimento da China, Macau deve primeiro integrar a Área da Grande Baía e concentrar-se na respetiva construção, criar uma plataforma sino-portuguesa e participar, sempre que o país precisar, na construção da iniciativa Faixa e Rota.

Defendeu ainda que plano da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau deve integrar “melhor a juventude e a tecnologia”. 

Já Si Ka Lon, outro dos delegados que viajou para Pequim, considerou que “a integração de Macau no sistema nacional de emergência de saúde pública permitiu a integração da prevenção e controlo conjuntos” [da pandemia do novo coronavírus] e isso “pode fornecer proteção para reiniciar a vida na área da Grande Baía”.

O delegado disse ainda ao PLATAFORMA estar preocupado com a melhoria da estrutura industrial da RAEM e que é necessário promover uma cooperação mais profunda entre Guangdong e Macau e acelerar o desenvolvimento de Hengqin e Macau.

O também deputado à Assembleia Legislativa local afirmou que aguarda novos avanços no modelo de cooperação Hengqin-Macau, para que a Zona de Cooperação Profunda Hengqin-Guangdong-Macau possa tornar-se um porto livre com características chinesas e as vantagens do princípio “um país, dois sistemas” e atinja o mais alto nível de área aberta na China. 

Para Si Ka Lon, à medida que a cooperação económica e comercial China-PLP fica mais próxima, a chave para Macau é melhorar as políticas de apoio e a construção de projetos. Por isso recomenda-se que a cidade promova, sempre, a construção de uma plataforma de serviços financeiros sino-portuguesa, o aumento do treino de talentos bilíngues sino-portugueses e fornecimento de serviços abrangentes de alto nível, como finanças, direito e de Encontros, Incentivos, Conferências e Feiras (MICE na sigla em inglês). 

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
EconomiaGrande Baía

Lançadas medidas de isenção fiscal na zona de cooperação em Hengqin

ChinaMacau

APN mostrou interesse em 17 leis de Macau, revela Chui Sai Peng

BrasilEconomia

Presidente Bolsonaro fala sobre Auxílio Brasil e prioridades para 2022

MundoPolítica

Pandemia e refugiados no centro do discurso do Estado da UE

Assine nossa Newsletter