MACAU EVITOU A VOLTA A SÃO TOMÉ - Plataforma Media

MACAU EVITOU A VOLTA A SÃO TOMÉ

 

Justificações contraditórias para a ausência dos ciclistas locais no país do cacau.

 

A equipa de ciclismo de Macau esteve ausente este ano da “Volta do Cacau”, em São Tomé e Príncipe, entre 28 e 31 de agosto, por “receios do Ébola”, segundo a imprensa do arquipélago; ou pela proximidade das datas dos Jogos Asiáticos, de acordo com o IDM.

“Na base da decisão da equipa de Macau, segundo apurámos, terão estado sobretudo preocupações com o calendário desportivo, visto que se realizam a partir de 19 de setembro, os Jogos Asiáticos”, em Incheon, na Coreia do Sul, disse o presidente da Associação dos Comités Olímpicos de Língua Oficial Portuguesa (ACOLOP), Alex Vong, em declarações ao Plataforma Macau.

O mesmo responsável explicou que, “tendo em conta a proximidade das datas das competições e considerando que a viagem para o continente africano é longa e muito cansativa para os atletas, foi decidido pelos técnicos responsáveis da equipa que esta não participaria na edição de 2014 da Volta do Cacau, em São Tomé e Príncipe, assegurando, assim as melhores condições para o seu desempenho nos Jogos Asiáticos”.

De acordo com uma notícia da agência noticiosa africana Panapress, que cita um comunicado enviado ao presidente do Comité Olímpico são-tomense, João Costa Alegre, por Alex Vong, a ausência da equipa de Macau da volta a São Tomé em bicicleta tratou-se de uma medida de “prevenção devido ao vírus do Ébola, que assola quatro países” do continente africano.

“Por motivo de apreensão e preocupação sobre a extensão da epidemia que, neste momento, assola essa região africana, Macau estará presente apenas na próxima edição da Volta do Cacau, em 2015”, indica o comunicado de Alex Vong citado pela Panapress.

A Federação Santomense de Ciclismo tinha assegurado que não haveria risco dos participantes contraírem o vírus, pois São Tomé e Príncipe não registou nenhum caso da doença nem consta na lista dos países considerados de risco.

Macau foi um dos quatro territórios convidados este ano para participar na 5.ª edição da “Volta do Cacau”, que abrange 281 quilómetros, tendo a participação na prova ficado reduzida a Angola, Cabo Verde e Portugal, além dos anfitriões. Na prova do ano passado, a equipa da RAEM ficou classificada em último lugar.

O angolano Igor Silva do Benfica BIC Luanda sagrou-se vencedor da 5.ª edição da “Volta do Cacau”.

A epidemia do Ébola já causou mais de 1900 mortos e há registo de mais de 3500 casos de infeção na Guiné-Conacri, Serra Leoa, Libéria e Nigéria.

Em São Tomé e Príncipe, dois cidadãos nigerianos foram colocados esta semana em quarentena, depois de desembarcarem no país vindos da Nigéria, tendo sido retidos no aeroporto, no âmbito das medidas de prevenção contra o vírus.

 

Patrícia Neves

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter