Início Manchete Quase 200 trabalhadores humanitários morreram “no lugar mais perigoso do Mundo”

Quase 200 trabalhadores humanitários morreram “no lugar mais perigoso do Mundo”

Sete membros da World Central Kitchen morreram, esta terça-feira, enquanto tentavam entregar alimentos na Faixa de Gaza. Contudo, estes trabalhadores humanitários não são os únicos que partiram em missão. Em apenas seis meses de guerra, já foram abatidas quase 200 pessoas pertencentes a organizações não governamentais.

A morte de sete membros da organização World Central Kitchen (WCK) enquanto tentavam distribuir comida à população palestiniana chocou o Mundo, mas não é caso único. Quase 200 trabalhadores humanitários de diferentes organizações não governamentais (ONG) que operam na Faixa de Gaza já perderam a vida desde outubro, altura em que Israel deu início a uma ofensiva no enclave.

Os corpos dos voluntários da WCK saíram esta quarta-feira da Faixa de Gaza, através da passagem de Rafah, segundo as autoridades locais e de saúde.

Leia mais em Jornal de Notícias

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!