Papa Francisco visitará Timor-Leste este ano

O papa Francisco visitará Timor-Leste este ano, disse à agência Lusa o Presidente timorense José Ramos-Horta.

por Gonçalo Lopes

O líder timorense, que foi recebido esta semana em audiência pelo papa, disse não poder adiantar datas, mas afirmou que uma equipa avançada partirá dentro de dias para Timor-Leste para a organização da visita.

“Eu não posso adiantar nenhuma data porque isso cabe à Santa Sé oportunamente divulgar o programa de viagens de Sua Santidade. Eu só posso confirmar que Sua Santidade, o papa Francisco, está determinado a visitar Timor-Leste e que a Santa Sé está a estudar esta programação com todas as suas implicações, isto é a infraestrutura, logística no país”, afirmou Ramos-Horta, em entrevista telefónica à Lusa, feita a partir de Lisboa.

“Dentro de dias, uma equipa avançada parte para Timor-Leste e para a região para ver todo o aspeto de logística e infraestruturas para uma visita de Sua Santidade que vai envolver muitas centenas de pessoas”, acrescentou.

José Ramos-Horta antecipou que a visita de Francisco será uma festa e disse acreditar que na missa campal e na comunhão deverão participar “pelo menos 500 mil pessoas”.
“Receamos que possa ser muito mais. Pode chegar a 1 milhão”, previu.

A visita de Francisco a Timor-Leste será a segunda de um chefe da Igreja Católica, depois da que João Paulo II efetuou em outubro de 1989, ainda durante a ocupação indonésia.

“Será a segunda visita. A primeira foi realizada pelo saudoso João Paulo II, em outubro de 1989, e que colocou Timor-Leste no mundo pela primeira vez, depois de anos de escuridão e esquecimento. Foi João Paulo II que colocou Timor-Leste no mundo”, considerou Ramos-Horta.

Sobre a importância da visita do papa Francisco, José Ramos-Horta afirmou que “vai contribuir imenso para a consolidação da diplomacia timorense e a sua presença na região e no mundo. Vai ser alvo de centenas de jornalistas que acompanharão a delegação, que farão parte da delegação papal. Pelo menos serão mais de 100 jornalistas. E depois haverá muitos mais que virão da Indonésia e da região, da Austrália. Pode chegar a duas centenas de jornalistas”.

Quanto à audiência com Francisco, Ramos-Horta disse ter apresentado a situação em Timor-Leste e destacou que o papa “está bem informado e está muito contente por ser um país pacífico”.
A esmagadora maioria dos cerca de 1,5 milhões dos timorenses, 99,6 por cento, são católicos, detalhou.

“É o segundo país mais católico do mundo em termos percentuais. O primeiro é a Cidade do Vaticano, o segundo é Timor-Leste. É uma sociedade muito tolerante em relação às outras religiões. Não há tensões étnicas e religiosas”, destacou.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!