Governo de Macau exige novos requisitos a operadoras de jogo para planos de investimento

Novas exigências impostas pelo governo de Macau para os planos de investimento e diversificação apresentados pelas às concessionárias de jogos estão atrasar o processo de negociação

por Nelson Moura
Plataforma - Macau

Segundo um artigo da publicação Asia Gaming Brief, várias fontes confirmaram que as negociações entre as operadoras de jogos e o governo atingiram um impasse, pois as autoridades de Macau alteraram os seus requisitos relativamente aos planos de investimento das concessionárias.

De acordo com uma fonte próxima a várias operadoras de jogos, o governo exigiu que todas as operadoras de jogos apresentassem planos detalhados para cada projeto de investimento, incluindo provas sólidas de que os seus planos de investimento promovem as quatro principais indústrias centrais para a estratégia do governo de diversificação de Macau.

Essas indústrias incluem pesquisa científica e tecnológica e manufatura de alta tecnologia, medicina tradicional chinesa, turismo cultural, MICE e finanças modernas.

Uma fonte disse à Asia Gaming Brief que as operadoras de jogos ficaram surpresas com os detalhes exigidos para cada área de investimento, observando que “o feedback do governo deixou claro que os planos não estavam detalhados o suficiente”.

“Os requisitos agora não se limitam apenas ao montante do investimento e ao conteúdo das atividades, mas também envolvem a geração de benefícios sociais e a promoção do desenvolvimento das quatro principais indústrias de Macau” indicou a mesma fonte.

A Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos de Macau (DICJ) é responsável por recolher todos os planos de investimento de cada operadora de jogos e distribuir o plano para diferentes serviços públicos para avaliação.

Como parte das novas concessões de jogo atrubuidas pelo Governo de Macau, as seis operadoras de jogo concordaram em investir mais de 100 mil milhões de patacas em elementos não jogo

Por exemplo, os projetos de alta tecnologia serão avaliados Direção dos Serviços de Economia e Desenvolvimento Tecnológico, enquanto os projetos culturais serão encaminhados para o Instituto Cultural.

Como as operadoras de jogos foram informadas dos requisitos do governo recentemente, as propostas anteriores já não atenderam às expectativas oficiais.

A mesma fonte disse que o governo introduziu Indicadores-Chave de Desempenho (KPIs) para monitorizar o desempenho das operadoras nos seus investimentos propostos.

Algumas operadoras de jogos planeiam dedicar áreas nas suas propriedades para serem espaços de exposição para produtos ou serviços de alta tecnologia, enquanto alguns planos de investimento serão concretizados pela compra de serviços ou produtos de PMEs.

Segundo a mesma fonte, até agora nenhuma concessionária apresentou projetos para apoiar indústrias relacionadas à Medicina Tradicional Chinesa, pois “elas não sabem por onde começar”.

Após o processo de nova licitação do ano passado, em que todas as seis concessionárias apresentaram propostas abrangentes de investimento para garantir novas concessões de jogos de 10 anos, o presidente e CEO da Melco, Lawrence Ho, recentemente revelou que o grupo estava a passar por “negociações extensas” com o governo.

A mesma fonte explicou que as propostas de investimento anteriores foram elaboradas durante a COVID, uma situação muito diferente da recuperação do turismo de Macau. Nessas circunstâncias, as empresas de jogos tomaram a iniciativa de renegociar com o governo.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!