Surtos de Covid-19 em Macau reduziram crimes relacionados com o jogo em 2022

por Mei Mei Wong
Aries Un

Os diferentes surtos Covid-19 registados em 2022 levaram a uma redução de crimes relacionados com o jogo, de acordo com informações fornecidas pelas autoridades policiais locais. No entanto, crimes de extorsão online continuam em crescimento.

Os crimes relacionados com o jogo representaram 11 por cento dos processos abertos pela Polícia Judiciária (PJ) no ano passado, uma quebra de 29,7 por cento face ao ano anterior, segundo as autoridades policiais.

Leia também: Bom desempenho do jogo em Macau ainda é insuficiente para falar em recuperação plena

Em 2022, investigadores da PJ abriram um total de 8.612 processos – menos 10,1 por cento face ao ano anterior – com 4.470 a requerer inquéritos e ações penais – menos 9,1 por cento face a 2021. Como resultado, cerca de 1.265 suspeitos foram encaminhados às autoridades judiciárias para acompanhamento, uma queda de 31 por cento.

“A atividade social acalmou-se na segunda metade do ano passado, quando Macau foi severamente atingido pela pandemia de Covid-19, levando a uma queda homóloga da criminalidade global”, explicou a PJ.

Crimes relacionados com casinos, agiotas, sequestro, fraude e roubo também registaram quedas, quase um terço entre 2021 e 2022 para 965.

As autoridades atribuíram a redução à baixa atividade turística e de jogo durante a pandemia.

Leia também: Reabertura de Macau ajuda setor do jogo a triplicar resultados semanais

Desde a entrada em vigor da nova lei do jogo, a polícia intensificou esforços contra organizações criminais envolvidas em jogos de azar, disseram as autoridades policiais.

“[2023] vai ser um ano totalmente novo para a indústria do jogo local, a PJ está empenhada em pressionar o setor a assumir a responsabilidade de salvaguardar a segurança nacional e regional com base nas fundações construídas com os departamentos governamentais relacionados”, disse o departamento de investigação policial.

CRIMES DE EXTORSÃO AUMENTAM

No entanto, apesar da queda geral no número de crimes registado, incluindo abuso de drogas, incêndio criminoso e cibercrimes, a polícia revelou que os casos de chantagem aumentaram 38,8 por cento em relação ao ano anterior, para 136 no total.

Este aumento foi impulsionado principalmente por um aumento de 35,9 por cento em casos de chantagem a envolver conteúdo sexual, uma prática em crescimento desde 2020.

Este aumento veio em conjunto com um ímpeto crescente de fraudes online, que registaram um aumento de 17,5 por cento para 610 casos, a maioria a envolver compras online ou fraudes de relacionamento online.

Leia também: Jogo VIP em Macau cai 64% em 2022

Além disso, o ano passado foi registado um total de 112 fraudes por telefone, um aumento de 26 por cento em relação ao ano anterior.

“Esses casos mostraram uma tendência de aumento desde 2020, apontando para que os membros do público estavam menos atentos a novos tipos de fraudes, especialmente aqueles em que os criminosos se faziam passar por profissionais de saúde”, disse a polícia.

Num esforço redobrado com a cooperação do setor bancário local, os investigadores da PJ conseguiram intercetar 26 casos envolvendo transferências de dinheiro transfronteiriças, com um valor total de cerca de 3.7 milhões de patacas. Outros esforços policiais bem-sucedidos resultaram em quedas de 15.8 por cento em crimes relacionados a dados pessoais e de 73.8 por cento em fraudes de cartão de crédito, com a primeira categoria a registar a primeira redução desde 2018.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!