Afeganistão e os derrotados na guerra - Plataforma Media

Afeganistão e os derrotados na guerra

A guerra no Afeganistão chegou ao fim. As tropas americanas abandonam o território com o orgulho ferido, e os Talibãs ocupam-se agora a criar uma nova nação. Sendo a guerra mais longa do século, o conflito irá, com certeza, deixar o seu impacto na geopolítica e estrutura mundial. Os perdedores e vencedores da guerra variam conforme o ponto de vista. A China não assume nenhum, porém, como país vizinho do Afeganistão, quer o melhor para a nação. Em termos de quem venceu e quem saiu derrotado, apenas podemos comparar a situação dos vários países e fazer a nossa própria avaliação.  

Começando pelos que perderam, na minha opinião, os Estados Unidos ocupam o pódio. Durante a guerra tiveram quatro presidentes, gastaram mais de 2 biliões de dólares e perderam mais de 2000 soldados. Ao longo de 20 anos, conseguiram apenas passar o poder do Afeganistão a quem retiraram inicialmente (Talibãs), abandonando agora o território humilhados, com a morte de 13 militares durante a retirada. Os Estados Unidos já não são o que eram. Agora invadem uma nação e regressam derrotados.  

O segundo derrotado foi a Índia, adversária do Paquistão há muito tempo. Este último, sendo amigo dos Talibãs, é automaticamente inimigo da Índia. Historicamente, as principais invasões estrangeiras ao território indiano aconteceram nas montanhas Hindu Kush, por isso, quando os Talibãs assumiram o poder, a Índia não hesitou em apoiar várias alianças contra os mesmos, tal como o governo afegão depois da invasão americana. Agora, os Talibãs estão de volta e a Índia tem mais um inimigo.  

O terceiro derrotado da guerra foram os amigos dos Estados Unidos: Alemanha, Reino Unido, França e Austrália. A Alemanha seguiu os passos dos EUA ao enviar a maior tropa militar desde o fim da guerra para o Afeganistão, mas pagou caro, com cerca de 60 soldados que nunca regressaram. O Reino Unido perdeu quase 500 militares, e a Austrália 40. O Afeganistão é assim um “cemitério de impérios” para o Reino Unido, União Soviética e EUA, tal como para os seus pequenos aliados.  

O Paquistão também saiu derrotado, obrigado a abandonar os talibãs afegãos sob ameaça de George Bush, e com milhares de refugiados afegãos a fugir para o país. Embora os Talibãs estejam de novo no poder, o Paquistão ainda não recuperou completamente. Os Talibãs poderão continuar amigáveis, mas os dois países continuam inimigos, o que significa que o pesadelo paquistanês está longe de chegar ao fim.  

O quinto e maior derrotado nesta guerra é o povo afegão. Durante 20 anos, quase 200 mil afegãos foram mortos, 10 milhões ficaram refugiados e 72 por cento da população vive abaixo do limiar da pobreza.  

*Editor chinês do PLATAFORMA

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
Opinião

Construir foi difícil, mais ainda será manter

Opinião

A luta pelo reconhecimento do novo estado afegão dos talibãs

Opinião

A atitude chinesa em relação às medalhas de ouro mudou

Opinião

O povo de um grande país e os Jogos Olímpicos

Assine nossa Newsletter