Pessoas alugam contas bancárias para criminosos receberem sequestros - Plataforma Media

Pessoas alugam contas bancárias para criminosos receberem sequestros

‘Conteiros’ ficam com 10% do dinheiro arrecado em crimes, mas podem pegar até 16 anos de prisão.

Policiais civis de São Paulo foram acionados, no início de julho deste ano, para acompanhar o sequestro-relâmpago em andamento da filha de um diretor aposentado do Bradesco. A moça estava desaparecida havia seis horas e R$ 51 mil já tinham sido transferidos das contas dela, via Pix, para dois desconhecidos.

A investigação de documentos usados para abertura das contas levou os policiais a um endereço de Guarulhos. Lá, segundo registros oficiais, os investigadores encontraram Willian Anastácio da Silva, 24, que admitiu ter criado contas com nomes de laranjas para alugar a criminosos ligados a sequestro-relâmpago e ficar com parte do dinheiro dos crimes. Foi preso em flagrante.

Silva, segundo policiais ouvidos pela Folha, faz parte de um intenso mercado ilegal de aluguel de contas bancárias que impulsionam uma série de crimes cometidos em São Paulo com uso do Pix, como sequestro-relâmpagos, roubos e golpes cometidos após o desvio de aparelhos celulares.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Assine nossa Newsletter