Festas de Barrancos canceladas pelo segundo ano consecutivo

Festas de Barrancos canceladas pelo segundo ano consecutivo

As Festas de Barrancos, no Alentejo, que incluem touradas de morte legais, voltaram a ser canceladas este ano, pela segunda vez consecutiva, por falta de condições sanitárias, devido à pandemia de covid-19, revelou a organização

Em comunicado, consultado hoje pela agência Lusa, a comissão organizadora informa que resolveu cancelar a edição deste ano das festas, conhecidas como “Fêra de Barrancos”, “pelos motivos sobejamente conhecidos relacionados com os constrangimentos do combate à pandemia de covid-19”.

“Lamentavelmente, a situação epidemiológica não está controlada, não havendo, por isso, condições sanitárias” para realizar os festejos, que deveriam decorrer entre o próximo sábado e terça-feira, naquele concelho raiano do distrito de Beja, explica a Comissão de Festas em Honra de N. Sra. da Conceição de Barrancos.

Segundo a comissão, o cancelamento das festas deste ano, tal como aconteceu com as de 2020, “já era expectável, tendo em conta a impossibilidade de realização de eventos relacionados com a tradicional ‘fêra’”.

“Infelizmente, será o segundo ano consecutivo sem o reencontro da família barranquenha”, lamenta, justificando que “a saúde da população está e continuará a estar em primeiro lugar”.

Atualmente, “continuamos a viver tempos difíceis. Temos de continuar a cuidar da saúde de toda a comunidade”, sublinha.

A “Fêra de Barrancos” tem “características próprias e, nas suas singularidades, é impossível controlar acessos e entradas e/ou garantir o distanciamento físico” entre pessoas, explica a comissão, frisando que “nunca esteve” nos seus planos “fazer uma ‘pequena fêra’, só para ‘marcar calendário’”.

A comissão indica que “não conseguiu realizar nenhum evento desde março de 2020”, devido à covid-19, e diz esperar que, “em 2022, seja possível ultrapassar esta maldita pandemia” para “dar continuidade à tradição” das festividades.

As Festas de Barrancos, que costumam decorrer entre os dias 28 e 31 de agosto, tornaram-se “famosas” pelas touradas de morte, legalizadas graças a um regime de exceção, e misturam celebrações religiosas e divertimentos pagãos em honra de N. Sra. da Conceição, a padroeira da vila raiana.

Related posts
PortugalSociedade

Task Force apela utentes para usarem modalidade "casa aberta"

PortugalSociedade

Uso de máscara obrigatório em instituições de ensino superior

DesportoPortugal

Lotação dos recintos desportivos sobe para metade

PortugalSociedade

Apenas 0,3% das pessoas com vacinação completa foram infetadas

Assine nossa Newsletter