Proibidos produtos descartáveis em plástico não-biodegradável

Proibidos produtos descartáveis em plástico não-biodegradável

A Administração de Aviação Civil Chinesa (CAAC na sigla inglesa) determinou que a partir do início de 2022 será proibido o uso de produtos descartáveis em plástico não-biodegradável, como palhinhas, talheres ou sacos plásticos, em aeroportos e voos nacionais com um volume de passageiros/ano superior a 2 milhões (inclusive). Prevê alargar a medida a todos os aeroportos nacionais e aos voos internacionais a partir do ano seguinte, em 2023.

A CAAC publicou o “Plano para Controlo de Uso de Plásticos Poluentes Pela Indústria de Aviação Civil (2021-2025)”, onde salienta que os aeroportos e companhias aéreas devem assumir a liderança no combate ao uso de plásticos poluentes, esperando que até ao ano de 2025 o consumo de produtos descartáveis em plástico não-biodegradável na indústria diminua significativamente. A produção de alternativas a estes produtos também tem evoluído. O tratamento de resíduos plásticos é cada vez mais inteligente, existindo sistemas de reciclagem uniformizados, sendo por isso possível estabelecer uma cooperação compreensiva entre a indústria de aviação e entidades responsáveis pelo controlo do uso de plásticos poluentes.

Este plano vem assim clarificar as funções dos aeroportos, companhias aéreas e da própria aviação civil. Vários departamentos da CAAC irão implementar medidas de controlo destes produtos plásticos mencionados em julho de 2021, assumindo a liderança na aplicação da nova norma. É esperado que no ano de 2025 o uso de outros produtos descartáveis como fita adesiva não biodegradável, coberturas de chuva e celofane em aeroportos também diminua largamente. O plano da CAAC, além de controlar o uso destes plásticos, incentiva ainda ao uso de alternativas e reutilização de resíduos através de inovação tecnológica, gestão de recursos e cooperação com vários setores, e promove a criação de um sistema de fornecimento, uso, reciclagem, armazenamento, transporte e tratamento de plásticos.

Em 2019, a CAAC transportou um total de 660 milhões de passageiros e 7.531.400 de toneladas em mercadorias, com os seus aeroportos e rotas aéreas a representar um grande volume de uso de produtos descartáveis em plástico não-biodegradável como copos, talheres e fita adesiva.

Atualmente já várias empresas da indústria tomaram a iniciativa de reduzir os plásticos poluentes. A Air China, por exemplo, promove o uso de talheres reciclados. A China Eastern Airlines lançou um programa piloto de separação de lixo nos voos. A Capital Airport Holding, a Shanghai Airport Authority e a Guangdong Airport Authority definiram também novas normas para encorajar os aeroportos a fazer a separação do lixo, recolha, armazenamento e transporte nos terminais e tratamento de resíduos nos voos de forma organizada.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
China

Empresa alerta para perigo em Central Nuclear

Mundo

"Modo de vida de mais de três mil milhões de pessoas depende dos oceanos”

MundoPolítica

Ministros do Ambiente da UE discutem estratégia de adaptação às alterações climáticas

Macau

Conselheiro do CPU sugere um “Central Park” nos novos aterros

Assine nossa Newsletter