Brasil ultrapassa os 390 mil mortos. Abril é o mês mais letal da pandemia - Plataforma Media

Brasil ultrapassa os 390 mil mortos. Abril é o mês mais letal da pandemia

Nas últimas 24 horas, o Brasil registou 32.572 novas infeções, pelo que o total de contagiados ascende a 14.340.787.

Brasil registou esta segunda-feira mais 1305 mortes devido à Covid-19 e ultrapassou os 390 mil óbitos, com abril a ser considerado o mês mais letal desde o início da pandemia, segundo divulgou o Governo.

O país, um dos mais afetados pela crise sanitária, acumula assim um total de 390.787 mortos relacionados com a Covid-19, desde o início da pandemia, em 12 de março de 2020, de acordo com o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde.

Nas últimas 24 horas, o Brasil registou 32.572 novas infeções, pelo que o total de contagiados ascende a 14.340.787, embora estes números possam ser superiores devido à redução de pessoal responsável por recolher os dados nos fins de semana, os quais serão consolidados na terça-feira.

O Brasil enfrenta uma mortífera segunda vaga da pandemia, muito pior que a primeira, e abril apresenta-se como o mês mais letal, com 69.282 vítimas mortais contabilizadas até agora, contra 66.573 mortos registados em março.

No entanto, embora a pandemia esteja a avançar rapidamente por todo o território brasileiro, a média de mortes diárias recuou nas últimas semanas e tem-se situado em torno das três mil, pelo que as autoridades consideram que o país poderá ter alcançado o pico da curva epidemiológica, embora a níveis muito elevados.

Apesar da grave situação, centenas de cariocas voltaram hoje às praias do Rio de Janeiro, embora a permanência na areia esteja apenas autorizada nos dias úteis.

Leia mais em TSF

Artigos relacionados
BrasilSociedade

Brasil terá geração mais pobre com fechamento de escolas na pandemia

BrasilPolítica

Congresso brasileiro autoriza doação de vacinas contra COVID-19 a outros países

BrasilSociedade

Brasil deixa de exigir teste para entrar no país a vacinados

BrasilSociedade

Nove estados quase sem camas de tratamento intensivo nos hospitais

Assine nossa Newsletter