Ministro brasileiro poderá ter saído por questionar vacina chinesa

Ministro brasileiro poderá ter saído por questionar vacina chinesa

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, pediu a demissão após uma forte pressão de políticos ligados ao Presidente do país, Jair Bolsonaro, que o acusam de obstruir o acesso às vacinas contra a covid-19, divulgou a imprensa brasileira. Araújo teve um atrito directo com Yang Wanming, embaixador da China no Brasil, por comentários que questionavam a eficácia das vacinas produzidas no China.

Yang Wanming revelou que o presidente da Assembleia Popular Nacional da China, Li Zhanshu, e o presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, Arthur Lira, tinham falado sobre o “reforço da parceria no combate à pandemia e nas vacinas”.

Já a 9 de março Arthur Lira tinha enviado uma carta ao governo chinês a pedir o envio de vacinas chinesas e de ingredientes activos para a produção de doses de vacinas.

Segundo a agência espanhola Efe, um dia antes, o secretário executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, tinha enviado uma carta a Yang Wanming a pedir ajuda para adquirir 30 milhões de doses da vacina BBIBP-CorV, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinopharm.

Leia mais em Hoje Macau

Related posts
BrasilSociedade

Covid-19: Governo do Brasil nega que seja necessário vacinar professores para retomar aulas

BrasilSociedade

Governo do Brasil deixou sem resposta pedidos de ajuda do Amazonas

BrasilSociedade

Brasil poderia ter salvo 20 mil vidas por mês com vacinação mais acelerada

BrasilPolítica

Após anúncio de Bolsonaro, Queiroga diz que para dispensar máscara é preciso vacinar população

Assine nossa Newsletter