TAP triplica preço dos bilhetes no voo humanitário do Brasil para Lisboa - Plataforma Media

TAP triplica preço dos bilhetes no voo humanitário do Brasil para Lisboa

Foram pedidos 1800 euros por passageiro aos que tinham bilhetes de regresso a Portugal de outras companhias.

Os passageiros portugueses ou residentes em Portugal que ficaram retidos no Brasil devido à suspensão de voos, a 29 de janeiro, estão chocados com o valor pedido pela TAP para poderem regressar no voo humanitário do próximo sábado: 1800 euros por pessoa, cerca do triplo do habitual, a quem não tem bilhete da companhia portuguesa. No sentido inverso, estando autorizado o transporte de brasileiros retidos em Portugal, no voo desta sexta-feira, os valores são também próximos dos mil euros. Fonte do Governo assegurou, ao JN, que estes valores não correspondem ao praticado, apesar de terem estado no site da TAP durante o dia de ontem. A companhia não respondeu ao JN.

À medida que os passageiros sinalizados pelos consulados de Portugal no Brasil foram sendo contactados pela TAP, por ordem de prioridade, a ansiedade aumentava entre os que esperavam lugar no avião deste sábado, autorizado a voar para Lisboa quando todo o tráfego está suspenso até 1 de março. Confirmados os casos de doença e com crianças, os contactos passaram aos passageiros sem motivos prioritários e sem bilhete TAP. A estes, foi oferecida vaga a bordo por 1800 euros por pessoa. Este foi o mesmo preço que a pesquisa JN encontrou, ontem, no site da companhia, antes de a mesma ser questionada. Ao final do dia, a tarifa desapareceu. Fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros assegurou que não foi esse o preço praticado.

Leia mais em Jornal de Notícias

Artigos relacionados
MundoSociedade

Covid-19: Debaixo de críticas, Bruxelas quer agilizar candidaturas de vacinas

Política

Tóquio pede a Pequim o fim de testes anais de covid em seus cidadãos

MundoSociedade

OMS diz que é prematuro e "não realista" pensar-se que a pandemia acabe este ano

PortugalSociedade

Mais 34 mortes e 394 novos casos nas últimas 24 horas

Assine nossa Newsletter