Governo português mais seletivo nas moratórias às empresas no segundo semestre

Governo português mais seletivo nas moratórias às empresas no segundo semestre

Desmame tem de continuar. Ministro explica em entrevista a Antena 1/ Negócios que “estamos a avaliar se devemos estender as moratórias ou não”. Segundo semestre vai ser melhor, pode haver empresas e setores para os quais já não se justifica. Governo pondera estender moratórias, mas vai ser mais seletivo

A moldura das moratórias bancárias para as empresas terem um alívio nos custos de endividamento deve mudar substancialmente no segundo semestre deste ano, disse o ministro das Finanças em entrevista à Antena 1/Jornal de Negócios.

Só as empresas de setores em grande aperto devem continuar a poder diferir esses custos. As outras, espera-se, não devem necessitar porque a retoma na segunda parte do ano vai ser “bastante robusta”, referiu João Leão. O final do regime geral das moratórias está previsto para setembro.

Na entrevista, o ministro disse que é importante “dar confiança às empresas” e que portanto “enquanto houver pandemia e a atividade económica estiver condicionada, os apoios mantêm-se, custe o que custar”. “É crítico dar essa garantia, estes apoios vão manter-se enquanto for necessário.”

Leia mais em Dinheiro Vivo

Artigos relacionados
PortugalSociedade

Júlio de Matos teve de reorganizar-se para responder à pandemia

PortugalSociedade

Um ano de Covid-19: Quase 28 mil profissionais de saúde infetados e 19 morreram

PolíticaPortugal

"É fundamental um plano de desconfinamento" para a retoma da economia

PolíticaPortugal

Portugal vai comprar cerca de 38 milhões de vacinas

Assine nossa Newsletter