Brasil registou défice recorde de 112,6 mil ME em 2020 em plena pandemia - Plataforma Media

Brasil registou défice recorde de 112,6 mil ME em 2020 em plena pandemia

As contas do Governo brasileiro registaram um défice primário recorde de 743,1 mil milhões de reais (112,6 mil milhões de euros) em 2020, ano em que empenhou vários esforços para mitigar os efeitos da covid-19.

Os dados foram divulgados quinta-feira pela Secretaria do Tesouro Nacional, e mostram que é o pior resultado da série histórica, iniciada em 1997, e que corresponde a 10% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Apenas no mês de dezembro, o executivo registou um défice de 44,113 mil milhões de reais (6,69 mil milhões de euros).

O resultado primário contabiliza a diferença entre as receitas e despesas do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central), sem considerar o pagamento dos juros da dívida pública.

Em 2019, o défice do executivo brasileiro, presidido por Jair Bolsonaro, foi de 95,1 mil milhões de reais (14,4 mil milhões de euros).

Apesar do valor recorde em 2020, o resultado acabou por ser melhor do que o inicialmente previsto, após a Secretaria Especial de Fazenda ter projetado, no final do ano passado, um défice primário de 831,8 mil milhões de reais (126,1 mil milhões de euros).

Os resultados negativos de 2020 estão relacionados ao aumento de despesas para combater a covid-19. De acordo com o Tesouro, as despesas primárias com a pandemia totalizaram 539,6 mil milhões de reais (81,8 mil milhões de euros).

Além disso, também as medidas de confinamento social tiveram um impacto negativo na atividade económica no país, assim como ações adotadas pelo Governo para auxiliar empresas em dificuldade, como o adiamento da cobrança de impostos, que levou à queda na arrecadação federal.

O Brasil enfrenta uma difícil situação em relação às suas contas públicas, tendo entrado num período de défice primário em 2014, e não havendo previsão de resultado positivo nos próximos anos.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo maior número de mortos (221.547), em mais de nove milhões de casos), depois dos Estados Unidos.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.176.000 mortos resultantes de mais de 100 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Artigos relacionados
BrasilEconomia

Novas restrições devem aumentar número de desempregados e falências

BrasilSociedade

Covid-19: Instituto brasileiro quer testar em humanos soro feito de plasma de cavalos

BrasilDesporto

'Dói, mas precisamos parar', diz presidente do Santos sobre futebol na pandemia

BrasilPolítica

Bolsonaro fala em 'vírus do pavor' e diz que parece que só morre gente de Covid-19 no Brasil

Assine nossa Newsletter