“A minha pátria é a língua portuguesa” - Plataforma Media

“A minha pátria é a língua portuguesa”

Peço emprestada a frase a Fernando Pessoa, na expectativa de que se perceba o essencial do projeto PLATAFORMA, pelo qual ao longo dos últimos meses temos vindo a lutar.

A língua tem cor, etnia, sotaque, mas não deixa de unir diversos países de vários continentes, o que eleva o português ao patamar de uma das línguas mais faladas do mundo.

A comunidade dos falantes do português tem culturas diferentes e entendimentos da vida que não coincidem. Ainda assim a língua une.

O PLATAFORMA é isso. Um projeto assente na interculturalidade. Com sede em Macau e delegação em Lisboa, mas que trabalha para uma realidade sino-lusófona. Com particular atenção ao que se passa no relacionamento do gigante económico chinês com os países de língua portuguesa.

Sou um português dos que começam a rarear. Nascido em Angola e com a noção de que muito do que nos separa se prende com o desconhecimento sobre o outro. Os medos agigantam-se quando nada sabemos, nem nos importamos com o que os outros são, pensam ou com a forma como vivem. O PLATAFORMA combate isso. Não condena, explica; não critica, mostra; não denuncia, descreve. As ideias não morrem. Não há crise pandémica ou económica que as derrube, quando são verdadeiras e bem intencionadas.

O projeto do PLATAFORMA também não se extinguirá. Pode até evoluir de uma forma mais lenta do que desejaríamos, mas tenderá a fazer o seu caminho. Em português e em chinês, como sempre foi. As duas línguas são os dois pilares da sua existência. Prova disso é a integração de Dinis Chan, que vai assumir um cargo de direção em Macau, com particulares responsabilidades nos conteúdos de língua chinesa.

Costumo dizer aos meus filhos que uma das coisas que nos distingue dos animais – uma das mais importantes – é que falamos. Falando temos sempre uma forte possibilidade de nos entendermos. E quando estamos convencidos da importância do que há para ser dito é sempre mais difícil tirarem- -nos a voz.

*Diretor Executivo do PLATAFORMA

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
Editorial

Quem tem medo da “Sindemia”?

Editorial

Pior é possível…

Editorial

“Obrigações humanas”

Editorial

“America, make the World Great Again”

Assine nossa Newsletter