Escritor angolano premiado acusado de plagiar conto brasileiro - Plataforma Media

Escritor angolano premiado acusado de plagiar conto brasileiro

O vencedor do Prémio Literário António Jacinto, edição de 2020, Lourenço Massungo, com a obra “Mulher Infinita”, está a ser acusado pelo escritor brasileiro Paulo Cantarelli de ter plagiado o seu conto “Serena”, que consta do seu livro “Fecifenses”, publicado em 2019, no Brasil.

Em declarações prestadas via whatsApp, ao Jornal de Angola, na sexta-feira, o autor brasileiro reclama apenas os direitos autorais sobre o seu conto “Serena”, que acredita ter sido supostamente plagiada por Lourenço Massungo no “Mulher Infinita”, e não a totalidade da obra em causa, esclareceu.

Nos vários áudios gravados e enviados ao Jornal de Angola, o brasileiro Paulo Cantanelli realça ter tomado conhecimento dos factos na terça-feira, dia 15, em que um amigo angolano o comunicou da situação do suposto plágio.

Recordou que o seu livro foi publicado em 2019, no Recife, embora o tenha  escrito já desde 2017, quando participou em vários concursos de literatura no seu país. Além disso, garante que a obra está registada, desde 2019. Descreve a situação como “muito constrangedora”, tendo chegado à conclusão de se tratar mesmo de um plágio “quase integral do meu conto”, onde Lourenço Massungo “diluiu apenas 20 por cento do seu punho” e o restante foi “cópia, tendo mudado apenas o ambiente descrito e alguns detalhes”.

Leia mais em Jornal de Angola

Artigos relacionados
CulturaMundo

Wole Soyinka, primeiro negro vencedor do Nobel da Literatura, quer Trump banido da política

BrasilCultura

Governo Bolsonaro critica reedição de Monteiro Lobato que suprime trechos racistas

BrasilCultura

Clarice Lispector faria hoje 100 anos: artistas interpretam textos da escritora

BrasilCultura

Literatura não deve ser didática, diz moçambicana Isabela Figueiredo no Fronteiras

Assine nossa Newsletter