Simulacro de emergência na costa de Huizhou - Plataforma Media

Simulacro de emergência na costa de Huizhou

A costa de Huizhou assistiu esta semana ao simulacro de um acidente marítimo que levou à realização do maior exercício de emergência e salvamento jamais registado nas águas ocidentais da Área da Grande Baía. A simulação contou com a participação de forças coordenadas de cidades de Huizhou, Guangzhou e Shenzhen. 

Foram utilizados no exercício equipamentos de alta tecnologia para salvamento no mar, incêndios marítimos e emergências de derrame de petróleo, com o objetivo de melhorar a capacidade de resposta e cooperação, em situações reais, na Área da Grande Baía de Guangdong, Hong Kong e Macau. 

O exercício constou de “uma colisão” entre um petroleiro e um navio de passageiros, com este a sofrer danos e a inundar. O “acidente” provocou a queda à água e consequente resgate de quatro passageiros, levando à evacuação de um número elevado de passageiros, ao combate a um incêndio que deflagrou na proa do petroleiro e à contenção de um derrame de 20 toneladas de combustível. 

Emitido o sinal de alarme, o Centro de Emergências Marítimas de Huizhou e o gabinete da Administração de Segurança Marítima de Huizhou iniciaram a resposta de emergência de primeiro grau, organizando e coordenando unidades marítimas de busca e salvamento, empresas portuárias e possíveis voluntários. 

Esta simulação é semelhante a uma verdadeira situação de combate a uma catástrofe, coordenando forças de Huizhou com cidades como Guangzhou e Shenzhen, incluindo forças marítimas, de salvamento, guarda costeira e policiamento de pescas. 

O exercício recorreu pela primeira vez a equipamento inteligente de salvamento como o “Hoverstar”, robôs de salvamento e um “sistema de alerta para derrames de petróleo”. Com o uso destes novos equipamentos as operações de busca e salvamento conseguem decorrer de forma rápida e flexível. 

A baía Daya em Huizhou é uma importante base para a indústria petroquímica, a primeira na China a conseguir uma capacidade de integração de refinamento de petróleo. Esta zona conta com mais de 70 empresas de tratamento de petróleo como a CNOOC, CSPC (CNOOC and Shell petrochemical company limited) e Sinopec, com cerca de 70 tipos de materiais perigosos a serem transportados regularmente por via marítima. 

O porto de Huizhou apresenta uma forte densidade de ancoradouros para navios de grande dimensão, que transportam elevadas quantidades de materiais perigosos, apresentando um alto nível de supervisão e segurança. Dados mostram que este porto lidou com mais de 100 milhões de toneladas de carga em 2019, 81 das quais de materiais perigosos. 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter