Macau Recebe “DAVOS ASIÁTICO” em Novembro - Plataforma Media

Macau Recebe “DAVOS ASIÁTICO” em Novembro

O Fórum Boao para a Ásia vai organizar em Macau uma conferência dedicada à tecnologia, destinada a “promover o intercâmbio e a cooperação internacional” e “apoiar a Agenda 2030 para a Sustentabilidade da ONU”, segundo a organização.

A “Conferência do Fórum Internacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ISTIF)” realiza-se entre os dias 9 e 11 de novembro, no Complexo da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Fórum Macau) e no hotel Grand Hyatt Macao, segundo o programa enviado à agência Lusa.

Trata-se de uma de três grandes conferências temáticas organizadas pelo Fórum Boao para a Ásia, cuja conferência anual não se realizou este ano, devido à pandemia da covid-19. Fundado em 2001, o Fórum Boao é conhecido como o “Davos Asiático”, e celebra-se todos os anos nesta cidade chinesa, na ilha tropical de Hainão, no extremo sul do país, contando com a participação de chefes de Estado e de Governo de países de todo o mundo.

A conferência que se realiza em Macau visa “criar uma plataforma de diálogo compreensivo de alto nível no meio político, académico e empresarial nas áreas da ciência, tecnologia e inovação”, apontou a organização.

A mesma nota realçou como objetivos “impulsionar a construção de um novo quadro para a governação científica e tecnológica” e “apoiar as Nações Unidas a atingirem os objetivos da Agenda 2030 para a Sustentabilidade”.

O evento inclui debates sobre as redes de quinta geração, propriedade intelectual ou condução autónoma e inteligência artificial. Pequim quer dotar as empresas com capacidades em setores de alto valor agregado, visando competir nas indústrias do futuro, como inteligência artificial, energia renovável, robótica e carros elétricos.

As ambições da China para o setor tecnológico levaram já os Estados Unidos a lançar uma guerra comercial e tecnológica contra o país asiático, que incluiu banir as exportações de componentes essenciais para o grupo chinês de telecomunicações Huawei. Segundo a organização, 800 pessoas devem participar na conferência em Macau, incluindo 600 representantes de empresas líderes no setor tecnológico. A mesma fonte estima que a participação ‘online’ vai superar as 200 mil pessoas.

A emissão de vistos a residentes do continente chinês para deslocação à Região Administrativa Especial de Macau foi retomada no dia 23 de setembro.

As entradas na região foram interditas no final de janeiro passado, quando a China colocou sob quarentena grande parte da província de Hubei, admitindo a gravidade do surto do novo coronavírus.

Nos primeiros oito meses do ano, entraram em Macau 3.570.019 visitantes, uma diminuição de mais de 87%, face ao mesmo período do ano anterior.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter