Presidente e primeiro-ministro do Líbano foram alertados sobre risco de explosão

por Guilherme Rego
Reuters

Autoridades são acusadas de negligência por incidente que matou centenas e feriu mais de 6.000

Autoridades libanesas alertaram o premiê e o presidente do país em julho sobre o risco de explosão das 2.750 toneladas de nitrato de amônio armazenadas no porto de Beirute, de acordo com documentos aos quais a Reuters teve acesso e informações de oficiais seniores que falaram sob condição de anonimato.

Pouco mais de duas semanas depois do alerta, os produtos químicos industriais causaram uma megaexplosão que destruiu a maior parte do porto, matou ao menos 220 pessoas, feriu mais de 6.000 e destruiu cerca de 6.000 prédios, segundo autoridades municipais.

Leia mais em Folha de S.Paulo.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!