Estudo demonstra que isolamento de Wuhan reduziu significativamente infeções - Plataforma Media

Estudo demonstra que isolamento de Wuhan reduziu significativamente infeções

As infecções teriam sido 64,8% maiores nas cidades chinesas fora de Hubei, e 52,6% maiores nas cidades dentro da província, exceto Wuhan, se o governo não tivesse agido para isolar a cidade, de acordo com a pesquisa da Universidade de Chinês de Hong Kong (CUHK, na sigla em inglês) .

“Descobrimos que o isolamento da cidade contribuiu significativamente para reduzir o total de casos de infecção fora de Wuhan, mesmo com as medidas de distanciamento social impostas mais tarde por outras cidades”, disse Yang Yang, um dos pesquisadores e professor assistente da Escola de Negócios da CUHK.

A pesquisa mostrou que o bloqueio reduziu a saída de pessoas da cidade em 56,4% em comparação com a situação em que se não houvesse uma quarentena, e também reduziu a entrada em 76,6% e a circulação dentro da cidade em 54,2%.

Yang ressaltou que os resultados do estudo terão fortes implicações para outros países em sua luta contra a COVID-19. “Parece que depois de implementar várias medidas de controle, as cidades que adotam um isolamento prolongado podem amenizar a trajetória ascendente do vírus.”

Diante da rápida disseminação da COVID-19, muitos governos em todo o mundo colocaram as cidades atingidas pela epidemia em bloqueio.

À medida que o surto do vírus continua a abrandar na China, Hubei retirou todos os postos de controle rodoviário para retomar o tráfego de saída, exceto em Wuhan. Todos os postos de controle restantes em Wuhan serão removidos em 8 de abril, quando a cidade chinesa mais atingida planeja retirar a restrição sobre viagem para fora após mais de dois meses de bloqueio.

A pesquisa foi conduzida por Yang em colaboração com Hanming Fang, da Universidade da Pensilvânia, e Long Wang, da Universidade ShanghaiTech.

Related posts
MacauMundo

São ou não as vacinas perigosas a longo prazo?

MacauPortugal

Quarentena de 21 dias mantém-se para quem vem de Portugal

MundoSociedade

Centro Europeu de Controlo de Doenças aceita vacinação em crianças

MundoSociedade

Especialistas recomendam autorização de pílula anticovid da Merck

Assine nossa Newsletter