TUDO ACONTECE - Plataforma Media

TUDO ACONTECE

 

Assim dizia o nome daquela banca. Foram apenas uns segundos, os necessários para captar a imagem e, de repente, assustei-me com o som – altíssimo – que se escapuliu por entre aquelas grades.

 

Vivalma. Seria brincadeira ou aviso? Tudo acontece…

 

Os vidros traseiros dos chapas*, objectos quase-voadores que

transbordam de gentes e haveres – e aos quais acontecem os mais

aparatosos e mortais acidentes -, exibem mensagens que me fazem

pensar que, afinal, entre contradições

Tudo acontece-4

“No mundo não há pressa”

e dúbias certezas

“É só garantir a esperança”

(de quê, para quê?)

tudo acontece.

Mesmo assim, não sei.

Tudo acontece-3               Tudo acontece-2

E quando não sei tenho uma vontade infinita de perguntar às gentes

– pode ser que saibam. O que acontece, pelo menos isso. O que vai

acontecer é muito distante. E o porque acontece é como se fosse sagrado.

Só os mais-velhos têm voz nesse saber.

Mais-velhos, nesse dia, não os achei; mas os mais pequenos mostraram-me o que acontece. Não sei se é tudo mas, por agora, já chega.

 

* pequenas viaturas para transporte de passageiros, geralmente com lotação para 10 mas que levam 25 (ou mais, se couberem)

 

Ana Roque de Oliveira 

Fotógrafa portuguesa residente em Tete, Moçambique

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter