Início » Fortalecer o modelo de cuidados de saúde transfronteiriços para idosos

Fortalecer o modelo de cuidados de saúde transfronteiriços para idosos

Leong Sun Iok, Federação das Associações dos Operários de Macau

Ao Governo tem seguido o princípio de “prestação de cuidados pela família e manutenção dos idosos no domicílio”, combinando recursos de diversos setores para ajudar os idosos a viver em ambientes familiares e comunitários, sem necessidade de entrar prematuramente em lares. Embora se tenha aumentado a cobertura dos serviços sociais para idosos nos últimos anos, as condições de saúde complexas e em deterioração, juntamente com o rápido envelhecimento da população local, criaram uma procura crescente por lares de terceira idade. Espera-se que a cooperação com outras cidades na Área da Grande Baía possa ajudar a fornecer mais soluções nesta área.

Segundo as “Projeções Populacionais de Macau 2022-2041” e estatísticas relevantes, a população idosa local com 65 anos ou mais representava 16,7 por cento da população total em 2023, ou cerca de 95.390 idosos. No entanto, o Estudo sobre a Procura e Planeamento de Serviços Residenciais para Idosos prevê que só 3,4 por cento da população com 65 anos ou mais tenha vagas em lares de cuidados residenciais. Como se espera que a proporção da população idosa local ultrapasse os 21 por cento até 2029 – tornando-se uma sociedade super envelhecida -, mesmo com mais 900 vagas em lares na Zona A em 2028, o tempo de espera será cada vez maior. Nestas circunstâncias, a cooperação com outras cidades na Grande Baía em cuidados transfronteiriços para idosos torna-se uma das hipóteses viáveis.

Nos últimos anos, a Província de Guangdong tem sido incluída como uma das opções de reforma para os residentes de Macau, com um total de 4.788 idosos já a residir nas nove cidades da Área da Grande Baía até final de 2023. Com as “Linhas Gerais do Planeamento para o Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau” a propor aprofundar a cooperação nos serviços de cuidados para idosos e a criar condições convenientes para que residentes de Hong Kong e Macau se aposentem em Guangdong, e pelo facto de residentes de Macau poderem agora adquirir seguros básicos de saúde no Continente, acredito existirem condições para explorar ainda mais os cuidados transfronteiriços. Com referência ao “Plano de Serviços de Cuidados Residenciais em Guangdong” de Hong Kong, as autoridades da cidade vizinha vão comprar vagas em lares nas cidades de Guangdong, operados por companhias de Hong Kong com bom histórico. Os idosos em Hong Kong que aguardam cuidados subsidiados ou vagas em lares podem optar por se aposentar no Continente, de acordo com as suas necessidades individuais.

Com o Plano Decenal de Ação para os Serviços de Apoio a Idosos (2016-2025) a terminar no próximo ano, espera-se que a taxa de planeamento de lares para idosos locais possa ser revista de forma oportuna e que seja considerada a viabilidade de incluir cuidados transfronteiriços. Em particular, a Zona de Cooperação em Hengqin está comprometida em desenvolver um ambiente de vida que esteja ao nível de Macau. Em conjunto com políticas complementares, como o plano de circulação de veículos locais em Hengqin com matrícula única – especialmente conveniente para os idosos e os seus familiares -, pode ser explorada a construção de lares de cuidados residenciais para idosos em Hengqin.

Contact Us

Generalist media, focusing on the relationship between Portuguese-speaking countries and China.

Newsletter

Subscribe Plataforma Newsletter to keep up with everything!