Sem novidades sobre o caso da Estátua de Kun Iam

O contrato de construção da estátua da deusa Kun Iam junto à barragem de Hac Sá está sob investigação desde outubro do ano passado. Três meses e meio depois, ainda não foram apuradas as responsabilidades por parte do Comissariado contra a Corrupção. O Instituto de Assuntos Municipais indica que a zona do parque removida há mais de seis meses para comportar a instalação foi reposta em janeiro, incluindo o jardim em labirinto. O escorrega de relva natural na área vai também reabrir este sábado

por Nelson Moura
Nelson Moura

Foi a 16 de outubro de 2023 que o Comissariado contra a Corrupção (CCAC) decidiu avançar com uma investigação sobre o orçamento e a forma como todo o projeto foi coordenado pelas autoridades. A estátua, orçamentada em 42 milhões de patacas, acabou por ser suspensa dias após o anúncio, a 24 de julho de 2023, depois de ser alvo de várias críticas por parte da população.

O PLATAFORMA procurou perceber junto do CCAC se o caso continuava sob investigação ou se tinha sido suspenso, bem como as entidades abrangidas no processo. Contudo, não houve qualquer resposta por parte do CCAC ao pedido de informação, submetido a 28 de dezembro do ano passado, ou seja, há mais de um mês.

A obra tinha sido adjudicada de forma direta à Companhia de Arte Shang Guo, ligada ao escultor Liang Runan, e foi indicado que a empresa teria direito a compensação pelo cancelamento do projeto.

Esse valor não foi revelado, com as autoridades a indicar apenas que seria definido de acordo com as cláusulas do contrato assinado entre o Instituto dos Assuntos Municipais e a empresa.

Tudo reposto

Para dar início às obras da estátua, as autoridades acabaram por remover um jardim em labirinto e uma grande árvore desse terreno. Depois da suspensão do projeto, o Governo comprometeu-se a restaurar o jardim em labirinto no centro do Reservatório de Hac Sá. Prometeu também manter a zona dedicada a churrascos e o escorrega de relva ali instalado.

Contudo, no início de janeiro, seis meses depois de anunciarem a suspensão da estátua de Kun Iam, o deputado Ron Lam indicou através das suas redes sociais que tudo se mantinha na mesma.

“Fui ao Parque de Merendas da Barragem de Hác Sá no dia 3 de janeiro deste ano para observar e constatei que a situação acima mencionada não mudou […] O novo jardim em labirinto, o escorrega de relva não foram abertos ao público para uso, nem o Governo anunciou qualquer nova informação”, destacou.

Ao PLATAFORMA, o Instituto dos Assuntos Municipais assegurou que “a zona do parque removida para a instalação já foi reposta, incluindo o jardim em labirinto. O escorrega de relva natural na área vai também reabrir este sábado”.

A estátua da deusa Kun Iam estava incluída no projeto de desenvolvimento do Campo de Aventuras Juvenis na praia de Hác-Sá, que viu o seu orçamento aumentar de forma considerável: das iniciais 229 milhões de patacas, passou para 1.4 mil milhões de patacas.

O projeto envolve a construção de um parque de estacionamento com três andares, uma zona para jogos aquáticos, com minipiscinas, uma torre de escalada, pistas para biclicletas de todo o terreno, e ainda um sistema contra inundações. Apesar da estátua ter sido removida, o projeto do Campo de Aventuras Juvenis foi mantido.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!