“Algo nunca visto antes na história da ONU.” Mais de 130 funcionários morreram em Gaza

António Guterres lamenta ainda que "a maior parte" do pessoal da ONU "tenha sido forçado a fugir das suas casas".

por Gonçalo Lopes

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, sublinhou que 136 funcionários da organização foram mortos na Faixa de Gaza desde o início do conflito, “algo que nunca foi visto antes na história da ONU”.

Numa publicação na rede social X (antigo Twitter), o português lamentou ainda que “a maior parte” do pessoal da ONU “tenha sido forçado a fugir das suas casas” e prestou “homenagem a eles e aos milhares de trabalhadores humanitários que arriscam as suas vidas ao apoiar os civis em Gaza”.

A declaração de Guterres surgiu na sexta-feira, horas depois do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (UNDP, na sigla em inglês) ter anunciado a morte de um dos funcionários e da sua família no enclave palestiniano.

Leia mais em Diário de Notícias

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!