Início » EUA sancionam três dirigentes malianos por ligações ao grupo Wagner

EUA sancionam três dirigentes malianos por ligações ao grupo Wagner

Lusa

Os Estados Unidos sancionou três responsáveis malianos, que trabalharam “em estreita colaboração” com o grupo paramilitar russo Wagner, ajudando à expansão das atividades desta organização que contrata mercenários, desde dezembro de 2021, anunciou hoje o Departamento de Estado norte-americano.

Num comunicado, que cita o chefe da diplomacia norte-americana, Antony Blinken, o Departamento de Estado salienta que “as mortes de civis aumentaram 278% desde que os efetivos da Wagner foram destacados para o Mali em dezembro de 2021”.

“Muitas dessas mortes foram o resultado de operações conduzidas pelas Forças Armadas do Mali ao lado de membros do Grupo Wagner”, acrescenta-se na nota.

Os três dirigentes malianos sancionados são o ministro da Defesa do Mali, coronel Sadio Camara, o chefe do Estado-Maior da Força Aérea, coronel Alou Boi Diarra, e o vice-chefe do Estado-Maior, tenente-coronel Adama Bagayoko.

Segundo o Departamento de Estado, os três responsáveis prestaram assistência material, patrocinaram ou prestaram apoio financeiro, material ou tecnológico ao grupo Wagner.

“Os Estados Unidos continuarão a tomar medidas contra aqueles que facilitam as atividades desestabilizadoras do grupo Wagner, que representam ameaças à paz e à segurança no Mali e na região”, frisa o Departamento de Estado.

A concluir a nota, o Departamento de Estado recorda que na qualidade de “maior doador bilateral de ajuda ao desenvolvimento e de ajuda humanitária ao Mali, os Estados Unidos apoiam o povo do Mali nas suas aspirações de paz, prosperidade e democracia”.

A atual junta militar que governa o Mali desde o golpe de Estado de agosto de 2020, cortou as ligações com a França, antiga potência colonial, em 2022 e virou-se para a Rússia, abrindo a porta aos mercenários do grupo Wagner, frequentemente acusado de cometer abusos de direitos humanos.

Contact Us

Generalist media, focusing on the relationship between Portuguese-speaking countries and China.

Plataforma Studio

Newsletter

Subscribe Plataforma Newsletter to keep up with everything!