Viagens em grupo a partir da China deve revitalizar indústria turística global

por Mei Mei Wong

A indústria do turismo global deve receber um impulso à medida que a China, um dos maiores mercados de turismo emissivo do mundo antes da pandemia, retomou as viagens em grupo a partir do país nesta segunda-feira.

No Aeroporto Internacional Pudong, de Shanghai, com muita alegria, Huang Xing, de 69 anos, fez o check-in com três de seus amigos para uma viagem planejada há muito tempo a Phuket.

Eles fizeram várias viagens ao exterior juntos antes da pandemia, e agora também estão planejando uma viagem para a Europa Oriental no final deste ano.

Leia também: Macau dos mais beneficiados com reabertura da China

“A Tailândia é relativamente próxima e, embora seja uma viagem em grupo, a agenda é bastante descontraída e é bom estar com os amigos”, disse Huang.

Huang está entre os 25 turistas em uma excursão com destino à Tailândia organizada pela Shanghai Airlines Tours International (Group) Co., Ltd.

Desde esta segunda-feira, a China retomou as viagens em grupo para 20 países, incluindo Tailândia, Maldivas, Emirados Árabes Unidos, Rússia e Nova Zelândia.

A medida, anunciada em janeiro, provocou uma alta no planejamento de viagens e um salto de buscas online por destinos no exterior, em que a Tailândia é o destino mais popular.

Leia também: China retoma emissão de vistos para cidadãos japoneses

Cheng Chaogong, pesquisador-chefe de um instituto de pesquisa de turismo afiliado à agência de viagens online Tongcheng-eLong, disse que os países com políticas de entrada amigáveis para a China são destinos preferidos. Entre eles, os países do Sudeste Asiático estão no topo da lista, devido a seu clima agradável durante esta época do ano.

Segundo Nonglux Yooyendee, diretor do Gabinete em Shanghai da Autoridade de Turismo da Tailândia, 11 milhões de turistas chineses visitaram a Tailândia em 2019, representando um quarto no mercado de entrada tailandês. Estima-se que de 5 a 6 milhões de turistas chineses visitarão o país este ano. Desde janeiro, a Tailândia já recebeu cerca de 90 mil turistas chineses.

Dai Bin, presidente da Academia Chinesa de Turismo, disse que a retomada de viagens em grupo sublinha o senso de responsabilidade da China e seu compromisso em permanecer aberta. “Isso mostra que nós estão preparados para compartilhar as oportunidades e os dividendos de desenvolvimento com outros países”, Dai apontou.

Leia também: Mais de 250 mil entraram na China no primeiro dia de reabertura das fronteiras

A Shanghai Jinjiang Tours Co., Ltd. escolheu os Emirados Árabes Unidos como o destino de sua primeira viagem exterior em grupo.

Liu Ning, presidente da Shanghai Jinjiang Tours Co., Ltd., disse que o Oriente Médio é um mercado turístico promissor porque a Copa do Mundo de Catar chamou muito a atenção para a região, enquanto a cooperação econômica entre a China e o Oriente Médio está sendo aprofundada.

A retomada em massa de turistas chineses está estimulando a confiança na recuperação econômica dos países que dependem em grande medida do turismo.

A paixão renovada por viajar para o exterior durante o recente feriado da Festa da Primavera, por exemplo, já demonstrou a crescente vitalidade da economia chinesa e forneceu otimismo para um mundo buscando remediar uma desaceleração econômica.

Segundo a Tongcheng-eLong, bilhetes de voo de saída e reservas de hotéis saltaram 258% e 177% ano a ano, respectivamente, durante o feriado de uma semana.

Leia também: Reabertura da China só no Verão de 2023 e pode depender da situação em Hong Kong

Uma pesquisa da qyer.com mostra que mais de 90% dos entrevistados planejam viajar para o exterior dentro de um ano, com cerca de um quarto agendando uma viagem dentro de seis meses.

A retomada das viagens em grupo a partir da China é de grande importância para o turismo tailandês, e os governos e as empresas privadas em ambos os países mostraram atitudes positivas a esse respeito. As empresas de viagens que atendem aos turistas na Tailândia estão lançando produtos relevantes para atender às preferências dos turistas chineses, observou a Nonglux Yooyendee.

No entanto, a recuperação total da indústria ainda pode levar algum tempo.

Zhou Weihong, vice-gerente geral da Spring Tour Travel Agency, disse que vários fatores ainda estão restringindo a recuperação do mercado do turismo emissivo, incluindo a escassez de voos internacionais e o alto custo dos passeios em grupo, infligidos por tarifas exorbitantes e taxas de hotel e recepção.

Leia também: Brasil, Ucrânia e comércio com a China marcam início do fórum de Davos

As empresas de turismo estão, portanto, considerando produtos mais diversificados, de pequena escala e personalizados para atrair possíveis turistas com marketing de nicho e uma melhor experiência de serviço.

“Também esperamos que os destinos no exterior estejam prontos para abraçar o influxo de turistas chineses, em termos de cadeia de suprimentos, recursos terrestres, entrega de voos, pessoal e assim por diante”, afirmou Dai.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!