Sintomas de covid desaparecem em um ano em casos leves, segundo estudo - Plataforma Media

Sintomas de covid desaparecem em um ano em casos leves, segundo estudo

A maioria dos sintomas de covid-19 de longo prazo desaparece em um ano em pessoas com infecções leves, de acordo com um estudo israelense divulgado nesta quinta-feira (12, noite de quarta em Brasília).

Pelo menos 17 milhões de pessoas na Europa apresentaram sintomas prolongados de covid-19 após se recuperarem da infecção inicial em 2020 e 2021, de acordo com modelos da Organização Mundial da Saúde (OMS).

No entanto, dúvidas surgiram sobre essa condição, incluindo quanto tempo dura.

Pesquisadores em Israel analisaram os históricos médicos de quase dois milhões de pessoas de todas as idades que tiveram covid-19 no país entre março de 2020 e outubro de 2021.

Os resultados, portanto, incluíram as variantes iniciais do coronavírus, como a delta, e não as variantes mais recentes da ômicron.

Os cientistas procuraram mais de 70 sintomas diferentes associados à covid de longo prazo e excluíram os casos mais graves, que segundo as pesquisas iniciais apresentam maior risco de se estenderem por um longo período.

Em casos leves, o estudo encontrou um risco significativamente aumentado de várias condições, incluindo perda de olfato e paladar, problemas respiratórios, fraqueza, palpitações, infecções na garganta, tonturas e dificuldades de concentração e perda de memória.

No entanto, a maioria dos sintomas desapareceu em 12 meses.

“Há um pequeno grupo de pessoas que ainda sofre de falta de ar ou fraqueza um ano após a covid”, disse Maytal Bivas-Benita, pesquisadora do Instituto KI de Israel e coautora do estudo.

O estudo publicado na revista BMJ também constatou que os pacientes vacinados têm menor risco de problemas respiratórios – o sintoma mais comum – em comparação aos não vacinados.

As crianças tiveram menos problemas do que os adultos e geralmente se recuperaram em menos de um ano.

Bivas-Benita disse à AFP que os resultados são positivos, depois de temer que os sintomas pudessem prolongar-se com o tempo.

“A grande maioria dos pacientes ficará bem depois de um ano”, garantiu.

Este artigo está disponível em: English

Related posts
Macau

Turistas chineses escolhem Macau em busca de inoculação “mais eficaz”

China

UE encoraja Estados-membros a imporem testes à covid-19 a passageiros oriundos da China

Sociedade

Subvariante da ómicron é responsável pela maioria dos casos nos EUA

ChinaMundo

Há risco de novas variantes de covid-19 com aumento de casos na China

Assine nossa Newsletter