País com reta final eletrizante para a primeira volta das eleições - Plataforma Media

País com reta final eletrizante para a primeira volta das eleições

O país entrou este domingo na reta final da campanha eleitoral, um duelo eletrizante entre os rivais Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva, que, segundo as sondagens, pode ser definido já na primeira volta, no dia 2 de outubro, a favor do ex-presidente

“O que temos é que conversar com milhões de pessoas que estão indecisas ou pensam em se abster”, disse Lula neste domingo no Rio de Janeiro, durante ato que contou com a presença de milhares de apoiadores na quadra da escola de samba Portela.

Segundo a pesquisa mais recente do Datafolha, Lula reúne 47% das intenções de voto, ante 33% para Bolsonaro, e pode vencer no primeiro turno, se conseguir mais de 50% dos votos válidos (descontando nulos ou em branco).

“As pesquisas dizem que existe uma possibilidade real de que Lula vença no primeiro turno”, aponta Fernanda Magnotta, coordenadora de Relações Internacionais da Faap, em São Paulo.

O ex-líder sindical, que deixou a presidência com um índice de aprovação acima de 80% e voltou à arena política após um período na prisão e com a imagem manchada pelo escândalo de corrupção da Lava Jato, poderia se beneficiar do “voto útil” vindo dos eleitores de candidatos menos competitivos, como Ciro Gomes e Simone Tebet (5%).

Nos últimos dias, Lula conquistou apoios como o implícito do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o de sua ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. Políticos e intelectuais da América Latina pediram a Ciro Gomes em carta aberta que desistisse da disputa, para facilitar a vitória de Lula.

Além do “voto útil”, Lula está focado em combater a abstenção, que ficou em torno de 20% em 2018. “O governo dele foi muito bom, formei meus filhos, conquistei coisas materiais, tipo um carro. Quero que ele volte, para que seja como antes”, disse neste domingo à AFP Sandra Chaves, eleitora negra de 60 anos, durante o ato no Rio de Janeiro.

Bolsonaro é apoiado por setores influentes, como o evangélico, empresarial e agrícola, mas enfrenta a resistência do eleitorado feminino e dos mais pobres, que preferem Lula, apesar do auxílio mensal de 600 reais distribuído desde agosto pelo governo atual.

O presidente afirma que as pesquisas, que o mostram em desvantagem, mesmo em um eventual segundo turno, mentem. “Se Deus quiser, venceremos no primeiro turno”, insistiu Bolsonaro hoje, durante transmissão ao vivo nas redes sociais. “Como pode o outro candidato, que a imprensa diz que pode ganhar o primeiro turno, não vai para rua?”, questionou. Vai ganhar no primeiro turno? Eu acho difícil. Difícil não, impossível. E ponto final.”

Bolsonaro prepara para a última semana motociatas pela região sudeste, que concentra mais de 42% dos eleitores do país.

Polarização

Nesta que é considerada a eleição mais polarizada em décadas, 67,5% dos brasileiros temem sofrer agressões por motivo político, segundo levantamento do Datafolha e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) publicado em setembro. “Nesta semana que falta, eu queria que vocês não aceitassem provocação”, pediu Lula no Rio.

Além dos atos de campanha, outro marco importante rumo ao domingo será o último debate eleitoral, que acontecerá na próxima quinta-feira, na TV Globo, no qual Lula confirmou presença, após faltar ao debate de ontem alegando problemas de agenda.

Related posts
MundoPolítica

Trump volta a dar sinais de que vai candidatar-se às presidenciais de 2024

BrasilPolítica

Bolsonaro apela aos manifestantes que desbloqueiem as estradas

BrasilPolítica

Bolsonaro diz estar a perder em algumas zonas do Brasil devido a crime eleitoral

BrasilPolítica

Eleições: Supremo defende justiça eleitoral no combate à desinformação

Assine nossa Newsletter