PS recusa quinzenais mas aceita debates mensais - Plataforma Media

PS recusa quinzenais mas aceita debates mensais

Depois de ter aprovado o fim da presença do primeiro-ministro no hemiciclo, PS volta atrás, mas não quer modelo anterior. Chega, IL, PAN e PSD pedem regresso dos quinzenais.

PM esteve esta quarta-feira no Parlamento para o debate sobre a moção de censura proposta pelo Chega.

O PS fez chegar, esta quarta-feira, à comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais a sua proposta no processo legislativo que está a decorrer sobre o regresso dos debates quinzenais. A proposta, revelada ao DN por fonte da direção da bancada parlamentar socialista, fica a meio caminho entre a situação atual – o primeiro-ministro só vai ao Parlamento de dois em dois meses – e aquilo que partidos como o Chega, a IL, o PAN e também o PSD propõem: o regresso puro e simples dos debates quinzenais obrigatórios com o PM.

Leia também: António Costa encolheu governo de Portugal

Assim, os socialistas propõem que o Governo esteja obrigatoriamente no plenário a responder aos deputados de quinze em quinze dias, alternando-se essa presença entre ministros sectoriais e o primeiro-ministro. Dito de outra forma: aprovada a proposta do PS (que tem maioria absoluta para isso), o chefe do Governo estará no Parlamento uma vez por mês. Os socialistas dizem que com esta proposta se criará uma situação em que todos os ministros terão de obrigatoriamente responder em plenários pelo menos uma vez por ano.

Leia mais em: Diário de Notícias

Este artigo está disponível em: English

Assine nossa Newsletter