19% dos infetados em Macau sem vacina e menos de metade com três doses - Plataforma Media

19% dos infetados em Macau sem vacina e menos de metade com três doses

Dos novos casos de Covid-19 em Macau, 19 por cento não estão vacinados e menos de metade tem as três doses, disseram hoje as autoridades de Saúde de Macau, que consideram a taxa de não vacinados “muito alta”.

“Dos 572 casos, 109 não foram vacinados – uma taxa muito alta – 23 receberam a primeira dose, 216 receberam as duas doses e 224 pessoas as três doses”, disse Leong Iek Hou, do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, durante a conferência de imprensa diária de Saúde.

“Através destes números podemos ver que a taxa de não vacinados é muito alta, comparando com a taxa de vacinação de 90 por cento em Macau”, acrescentou. Em Macau, foram vacinadas 613.720 pessoas, sendo que 586.020 completaram duas ou mais doses, de um total de cerca de 680 mil habitantes.

Leia mais sobre o assunto: Taxa de vacinação em Macau atingiu a barreira dos 85%

As autoridades têm feito apelos reiterados à população para que se vacine, sobretudo aos idosos – com uma taxa mais baixa de imunização – a quem foram oferecidos em maio `vouchers` até um valor máximo de 250 patacas (30 euros) como forma de incentivo.

O Governo tem frisado que uma elevada taxa de vacinação vai permitir flexibilizar as medidas de controlo fronteiriço, que têm tido um impacto negativo no turismo, praticamente a única indústria no território.

Ainda na conferência de imprensa, Leong Iek Hou anunciou que, até às 23:59 (16:59 em Lisboa) de quarta-feira, foram detetados 88 casos, na sequência da nova vaga de Covid-19, que levou o território a decretar a 19 de junho estado de prevenção imediata, a antecipar o final ano letivo e a suspender, total ou parcialmente, serviços e comércios.

Leia também: Mais 57 novos casos de Covid-19 em Macau

Desde o início do surto, os residentes de Macau têm sido obrigados a efetuar testes rápidos em casa, tendo já passado também por três testagens massivas. Esta sexta-feira e sábado, a população deverá efetuar novamente dois testes antigénio, disse ainda Leong Iek Hou. Em caso de desobediência, as pessoas enfrentam restrições de mobilidade, numa cidade em que há dezenas de zonas isoladas e milhares de pessoas em quarentenas forçadas.

Este artigo está disponível em: English

Related posts
MundoSociedade

Covid-19: Bruxelas chega a acordo com Moderna sobre entrega de novas doses

Sociedade

Quarentena já não é obrigatória na Áustria para casos positivos

Sociedade

Estudos apontam mercado de Wuhan na China como início da Covid-19

MundoPolítica

COVID-19: OMS alerta para "outono e inverno difíceis" na Europa

Assine nossa Newsletter