Presidente ucraniano convida papa a mediar entre Ucrânia e Rússia

Presidente ucraniano convida papa a mediar entre Ucrânia e Rússia

O presidente ucraniano Volodimir Zelensky convidou esta terça-feira o papa Francisco a atuar como mediador nas negociações entre Ucrânia e Rússia, que iniciou uma guerra contra seu vizinho no final de fevereiro

“Apreciaríamos o papel de mediador da Santa Sé para acabar com o sofrimento humano” na Ucrânia, tuitou Zelensky após um telefonema com o papa, depois que o Kremlin julgou que as negociações atuais com Kiev não foram suficientemente “substanciais”.

O presidente ucraniano declarou que informou a “Sua Santidade sobre a situação humanitária difícil e o bloqueio dos corredores humanitários pelas tropas russas” e agradeceu as “orações pela Ucrânia e pela paz” feitas pelo papa.

Zelensky pediu ao papa “que venha ao nosso país neste momento muito importante”, em um vídeo divulgado na noite desta terça-feira. “Acredito que podemos organizar esta importante visita que fornece um apoio significativo a cada um de nós, a cada ucraniano.”

Desde o início da ofensiva russa na Ucrânia, que deixou milhares de mortos, principalmente civis, o papa Francisco reiterou os apelos à paz.

Em uma oração pública em 16 de março, pediu perdão a Deus em nome dos humanos que “continuam bebendo o sangue dos mortos destruídos pelas armas”.

Ucrânia, um país majoritariamente ortodoxo, conta com uma importante minoria greco-católica dependente do Vaticano, concentrada principalmente no oeste do país.

Esta confissão católica de rito oriental, que é a terceira Igreja na Ucrânia, afirma ter 5,5 milhões de fiéis na ex-república soviética, que antes da guerra tinha cerca de 40 milhões de habitantes.

Quase 9% dos ucranianos afirma pertencer a esta Igreja, enquanto 58% se reivindica como parte da Igreja ortodoxa independente e 25% como parte do Patriarcado de Moscou, segundo uma pesquisa de 2021.

Related posts
Desporto

Embaixador da Ucrânia na Turquia condena cânticos dos adeptos do Fenerbhaçe

Política

Canal russo em exílio tenta 'combater a propaganda' do Kremlin

MundoPolítica

Cabe à Rússia “honrar a sua palavra” no acordo para exportações de cereais

Política

Rússia deixará Estação Espacial Internacional depois de 2024

Assine nossa Newsletter