Petróleo pode atingir “preços inimagináveis” - Plataforma Media

Petróleo pode atingir “preços inimagináveis”

Ao intervir numa videoconferência, no último sábado, que analisou as possíveis consequências do conflito Rússia – Ucrânia, Flávio Inocêncio disse que a procura por petróleo continuará muito alta, apesar dos esforços mundiais de redução da dependência de combustíveis fósseis.

Um dado avançado pelo especialista angolano, residente em Londres, onde é docente universitário, tem a ver com o facto de actualmente estar-se com um consumo mundial acima de 100 milhões de barris por dia de petróleo, o que desafia os produtores a continuarem com ofertas altas para responder a procura. Este mesmo facto, conforme disse, vai provocar que os preços médios de 80 dólares previstos para este ano continuem a ser superados em terrenos positivos.

O barril chegou a custar 105 dólares nas negociações da última semana, pese embora o facto de arrancar esta nova ronda semanal ligeiramente abaixo dos USD 100.

Recuperar os empregos

O sector petrolífero angolano despediu, entre 2020 e 2021, entre 300 e 500 técnicos, devido a paragem forçada de muitos projectos por força da Covid-19 e a interrupção da procura por parte dos grandes consumidores.

Estes indicadores foram partilhados pelo contabilista Félix Dala, na videoconferência promovida pelo grupo angolano de consultoria financeira PoupaInvest.

Diante do actual cenário, Félix Dala acredita que esta força de trabalho perdida poderá regressar ao sector, o que gera expectativas positivas, desde que cheguem novos investimentos.

Leia mais em Jornal de Angola

Related posts
MacauSociedade

Universidade de Macau aposta na internacionalização

AngolaPolítica

UNITA diz que Tribunal Constitucional aceitou providência cautelar

AngolaSociedade

“Caçadores de óbito”, os truques para matar a fome em Luanda à custa dos funerais

AngolaSociedade

Cidadãos angolanos abandonam Kharkiv

Política

Negociações com a Rússia. Ucrânia exige cessar-fogo

Política

Guerra constitui teste à parceria entre Pequim e Moscovo

Assine nossa Newsletter