Brasil ultrapassa marca de 23 milhões de casos de infeção de Covid

Brasil ultrapassa marca de 23 milhões de casos de infeção de Covid

O Brasil ultrapassou ontem a marca de 23 milhões de casos de covid-19, ao registar 24.934 novas infeções e 74 mortes nas últimas 24 horas, números que mostram uma redução para metade dos óbitos e de infetados

Desde o início da pandemia, em fevereiro de 2020, o país acumula 23.000.657 casos confirmados e 621.045 mortes, de acordo com o boletim epidemiológico do Conselho Nacional de Secretários de Saúde.

O número de infeções caiu 48,6% hoje em comparação com o número de sábado (48.520), e o número de mortes caiu 57,7% em comparação com as 175 mortes registadas no dia anterior.

A recolha de dados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) continua, porém, a enfrentar problemas em resultado de ataques cibernéticos por ‘hackers’ no final do ano passado à plataforma do Ministério da Saúde brasileiro.

Por outro lado, os números são normalmente mais baixos ao fim de semana devido à falta de pessoal em alguns municípios remotos, que só conseguem consolidar os dados na segunda-feira ou terça-feira seguintes.

O Brasil, um dos três países mais afetados pela pandemia em números absolutos, juntamente com os Estados Unidos da América e a Índia, tem uma taxa de mortalidade de 295,5 mortes por 100.000 pessoas – a mesma de sábado – e uma incidência de 10.945 pessoas infetadas na mesma proporção. A variante Ómicron é predominante no Brasil.

Segundo os dados oficiais, o Brasil conseguiu ministrar 337,7 milhões de vacinas antivirais e imunizou 69,2% da população.

O início oficial da vacinação de crianças entre os 5 e 11 anos em São Paulo e no Rio de Janeiro – as duas maiores cidades – está previsto para segunda-feira.

A falta de testes laboratoriais tem criado problemas de diagnóstico, mas espera-se que esta semana o Ministério da Saúde resolva a situação com a compra de novos testes clínicos.

A covid-19 provocou 5.519.380 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em vários países.

Artigos relacionados
BrasilSociedade

Cidades de São Paulo recomendam uso de máscara em escolas

BrasilSociedade

Brasil terá geração mais pobre com fechamento de escolas na pandemia

BrasilPolítica

Congresso brasileiro autoriza doação de vacinas contra COVID-19 a outros países

BrasilSociedade

Brasil deixa de exigir teste para entrar no país a vacinados

Assine nossa Newsletter