Brasil e Colômbia chegam à COP26 unidos em defesa da Amazónia

Brasil e Colômbia chegam à COP26 unidos em defesa da Amazónia

O presidente do Brasil e seu homólogo colombiano afirmaram que os seus países chegam à próxima Cimeira da ONU sobre mudanças climáticas “unidos” em defesa da Amazónia

Brasil e Colômbia vão para a COP26 defender a Amazónia juntos. “Chegaremos a Glasgow [Reino Unido] unidos para tratar de um assunto muito importante e caro para todos nós: nossa amada, rica e desejada Amazônia”, disse Bolsonaro após se reunir com Duque no Palácio do Planalto. 

Brasil e Colômbia juntos na COP26 pela Amazónia. Os dois países da região amazónica “compartilham a ideia de chegar a Glasgow com uma mensagem inequívoca para proteger este território”, acrescentou Duque por sua vez.

“Nossa voz em Glasgow será não só trabalhar pela transição energética, pela redução de emissões, mas também alcançar a neutralidade de carbono e fazê-lo com grande proteção de nossas florestas tropicais e de nossa Amazônia”, afirmou o presidente colombiano no segundo dia de sua visita oficial ao Brasil.

Líderes mundiais se reunirão na cidade escocesa de Glasgow entre 31 de outubro e 12 de novembro para discutir a redução das emissões de CO2, chave para o combate às mudanças climáticas.

O governo Bolsonaro é muito criticado por sua política ambiental, principalmente pelo aumento do desmatamento desde que assumiu o poder em 2019, por ter enfraquecido órgãos de controle ambiental e defender publicamente a exploração de recursos em áreas protegidas.

Numa mudança de discurso, em abril, Bolsonaro se comprometeu a atingir a neutralidade de carbono até 2050, ou seja, o equilíbrio entre a quantidade emitida e a retida, e prometeu que o Brasil eliminará o desmatamento ilegal até 2030.

Brasil e Colômbia concentram 61% e 6% da floresta amazônica em seus territórios, respectivamente.

Setenta por cento do desmatamento na Colômbia ocorre nessa região. Em 2020, 109.302 hectares foram desmatados em solo amazônico colombiano, segundo dados oficiais.

Durante a visita oficial de Duque “para estreitar os laços” com o Brasil, os presidentes assinaram sete acordos de cooperação em temas como combate ao narcotráfico, exportação, saneamento, agricultura e tecnologia.

Duque também se reuniu com empresários colombianos e brasileiros em São Paulo e tem encontro marcado com os presidentes das duas casas do Congresso nesta terça-feira.

Brasil e Colômbia registraram intercâmbio bilateral de 3,6 bilhões de dólares em 2020, segundo o governo brasileiro.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter