Fim das moratórias não preocupa Banco de Portugal - Plataforma Media

Fim das moratórias não preocupa Banco de Portugal

Termina nesta quinta-feira, 30 de setembro, o prazo da moratória pública

Vem aí uma aterragem suave do fim das moratórias. O Banco de Portugal não está preocupado com o fim da moratória pública que termina já hoje. Alguns contratos ainda irão estar sob moratória até ao final deste ano, mas a esmagadora maioria dos empréstimos abrangidos pela medida voltam já em outubro à situação regular. A exceção irá também para os casos em que os clientes estejam em dificuldades em voltar a pagar as suas prestações da casa ao banco.

Nessas situações, os bancos têm de acomodar soluções para os clientes. Algumas instituições financeiras estão a propor que os clientes paguem transitoriamente apenas os juros dos empréstimos.

Para o Banco de Portugal, a ausência de ansiedade face ao tema baseia-se no facto de muitas famílias terem aderido à medida por precaução. O montante recorde de depósitos das famílias nos bancos também ajuda a afastar receios.

No final de julho de 2021, beneficiavam de medidas de apoio previstas nas moratórias 381,4 mil contratos de crédito, abrangendo 292,6 mil devedores. O montante global de empréstimos em moratória ascendia a 36,8 milhões.

Estes dados vão hoje ser alvo de atualização. O Banco de Portugal divulga hoje o seu balanço relativo aos empréstimos em moratória no final do mês de agosto; o supervisor bancário explica a descida dos contratos abrangidos por moratórias de crédito durante o primeiro semestre com a cessação das moratórias privadas.

No final de julho, o peso dos empréstimos em moratória no montante total de crédito concedido aos particulares era de 11,3%.

Moratórias geram reclamações

Segundo o Banco de Portugal, até ao final de julho de 2021, deram entrada no supervisor 388 reclamações de clientes bancários envolvendo, sobretudo, a implementação das moratórias de crédito e de outras medidas de mitigação da pandemia. “Neste período, na sequência da análise de reclamações, foram instaurados cinco processos de contraordenação a cinco instituições, relacionados com as moratórias de crédito”, indicou o Banco de Portugal no relatório com a Sinopse de Atividades de Supervisão Comportamental, divulgado ontem à tarde.

Leia mais em Dinheiro Vivo

Assine nossa Newsletter