Vandalizadas 16 escolas na província do Cunene - Plataforma Media

Vandalizadas 16 escolas na província do Cunene

Dezasseis escolas do ensino primário ao II ciclo foram vandalizados este ano, na província do Cunene, provocando constrangimentos ao normal funcionamento das instituições de ensino na região.

A província do Cunene possui 868 instituições de ensino,  sendo  792 do ensino primário, 56 do primeiro ciclo e 20 do segundo ciclo, das quais apenas 22 possuem guardas.

Em declarações à ANGOP, o director do gabinete da Educação do Cunene, Domingos de Oliveira, disse que os assaltos e vandalização são praticados com frequência no período nocturno.

Explicou que os meliantes retiraram mobília escolar (mesas, cadeiras de gabinetes, carteiras, portas, janelas de caixilharia de alumínio,  quadros, sanitas), para além de danificarem a instalação eléctrica.

Disse que os meliantes também não pouparam o material de biossegurança de combate à Covid-19.

“A retirada das mobílias acaba por dificultar o funcionamento das escolas, porque os alunos estudam sem carteiras, situação que pode influenciar de forma negativa na qualidade de ensino e aprendizagem dos alunos”, lamentou.

Segundo o responsável, a reposição do material roubado e reparação dos danos está em curso, razão pela qual quer a colaboração de todos na preservação destas instituições.

Domingos de Oliveira disse que o gabinete tem contratos com as empresas para o asseguramento de 22 escolas, pagando por cada segurança o valor de 80 mil kwanzas mensais, mas por insuficiência de verbas este serviço não pode ser alargado a mais escolas.

Por seu turno, o porta-voz da Polícia Nacional no Cunene, intendente Nicolau Tuvekalela, informou que não existem postos fixos nas escolas, apenas a corporação realiza acções de patrulhamento noturnos nas escolas da zona urbana para manter o seu controlo.

Nicolau Tuvekalela disse que Cunene já tinha uma Brigada Escolar, extinta em 2019, por força do novo quadro orgânico da Polícia Nacional.

Assine nossa Newsletter