Refugiados afegãos na UE. "Retórica populista e restritiva continua a imperar" - Plataforma Media

Refugiados afegãos na UE. “Retórica populista e restritiva continua a imperar”

Para a investigadora Susana Ferreira, Portugal deve seguir a política de abertura que tem vindo a cumprir.

A União Europeia ainda tem muito que aprender com a última crise migratória de 2015. A opinião é de Susana Ferreira, investigadora da Universidade de Nebrija, em Madrid. Há já alguns países que se mostraram indisponíveis para receber refugiados afegãos, como a Grécia e a Turquia, que estão mesmo a erguer muros para evitar a entrada de quem foge do Afeganistão.

Para Susana Ferreira, as ideias populistas continuam a falar mais alto.

“Vemos, claramente, pelas reações dos diferentes líderes europeus que a retórica populista e restritiva continua a imperar contra os princípios consagrados nos tratados da União Europeia e reforçados no Pacto das Migrações, aprovado em setembro de 2020, que falava já na criação de um mecanismo ativo de solidariedade e prevê ações flexíveis para os Estados membros”, afirma em declarações à TSF.

Susana Ferreira considera “que desde 2020 os passos que se deram neste sentido foram poucos ou quase inexistentes, pelo que a nível de lições que se pudessem tirar da crise de 2015 ainda há muito a aprender”.

Leia mais em TSF

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
MundoPolítica

EI reivindica ataques contra talibãs no Afeganistão

MundoSociedade

Campo de refugiados na ilha de Samos atingido por incêndios

MundoPolítica

Talibãs trocam Ministério dos Assuntos Femininos pelo da Prevenção do Vício

MundoPolítica

EUA afirmam que ataque de drone em Cabul matou 10 civis

Assine nossa Newsletter