Mulheres angolanas desafiadas a fazer carreira no estrangeiro - Plataforma Media

Mulheres angolanas desafiadas a fazer carreira no estrangeiro

A ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher desafiou, ontem, em Luanda, a sociedade civil, em particular as raparigas, a encararem as organizações internacionais e regionais como oportunidade de carreira e de elevar assim os níveis de representação de Angola junto desses órgãos.

Faustina Alves lançou o desafio no Seminário sobre “Mobilização de mulheres para maior participação nos mecanismos regionais e internacionais” que visou, entre outros objectivos, divulgar à sociedade angolana, incluindo a na diáspora, a pretensão do Executivo em ver mais quadros nacionais, em particular mulheres, nas organizações internacionais.

A ministra reconheceu a existência de um défice de angolanos nos mecanismos internacionais e regionais. Daí, disse, a importância da realização do seminário “que prova que é possível a integração das angolanas naquelas organizações”.

Segundo a governante, para garantir os direitos das mulheres e assegurar a igualdade de género em Angola, o Governo aprovou vários diplomas legais, além de ter assinado e ratificado importantes convenções internacionais em matéria de Direitos Humanos e dos Direitos da Mulher. Entre os diplomas internos, destacou a Lei contra a Violência doméstica, a Política Nacional para Igualdade de Género e Estratégia de Advocacia e Mobilização de Recursos para Implementação e Monitorização da Política.

Leia mais em Jornal de Angola

Assine nossa Newsletter