Grau de apodrecimento de cadáveres dificulta resultados conclusivos

Grau de apodrecimento de cadáveres dificulta resultados conclusivos

Em resposta a uma interpelação de Leong Sun Iok, o Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) argumenta que é difícil avançar com as causas que motivaram as mortes dos golfinhos brancos chineses, que têm aparecido recentemente na costa de Macau, devido ao estado de decomposição dos cadáveres.

“Só um pequeno número de cadáveres apresenta ferimentos exteriores evidentes. O processo de apodrecimento da maioria deles já se iniciou ao serem descobertos, tornando difícil determinar local e causas da morte”, pode ler-se na resposta assinada pelo presidente do IAM, José Tavares.

Para determinar as causas da morte, acrescenta o responsável, são necessárias “múltiplas análises”, tais como autópsias aos cadáveres, exames patológicos, toxicológicos e sobre o meio ambiente no qual os animais viveram.

À questão colocada pelo deputado sobre se as autoridades vão apresentar a situação dos trabalhos de protecção dos golfinhos brancos chineses em que Macau participou ao longo dos últimos três anos, o IAM diz apenas que “recolhe dados regularmente” e efectua investigações ao meio ambiente para “avaliar o estado actual de sobrevivência dos golfinhos brancos chineses” em Macau.

Leia mais em Hoje Macau

Related posts
MoçambiqueSociedade

Encontrados mortos mais de 100 golfinhos na ilha de Bazaruto

Hong KongMacau

População de golfinhos recuperou após interrupção marítima entre Macau e Hong Kong

LifestylePortugal

O mistério dos golfinhos do Tejo

Portugal

Grupo de golfinhos na foz do rio Ave

Assine nossa Newsletter