“É difícil encontrar em Angola o rácio cama, técnico de farmácia e farmacêutico” - Plataforma Media

“É difícil encontrar em Angola o rácio cama, técnico de farmácia e farmacêutico”

Em vários países utiliza-se um farmacêutico para 50 camas e um auxiliar de farmácia, que é o técnico médio, para 10 camas. No nosso sistema de saúde não seguimos muito a risca estes padrões. Em entrevista exclusiva ao Jornal de Angola, a doutora Esperança Dores dos Santos Pacavira Fernandes, pós-graduada e mestre em Gestão de Saúde, faz uma abordagem exaustiva acerca da gestão de reservas em farmácias hospitalares e normas de funcionamento deste importante serviço

Quando se fala em gestão de reservas em farmácia hospitalar o que é que isso quer dizer exactamente?
A gestão de reservas, em farmácias hospitalares, é o conjunto de actividades desenvolvidas nas farmácias. O seu cabal funcionamento requer a utilização de técnicas apropriadas, definição de parâmetros, instalações adequadas para as reservas, manuseio, controlo e distribuição, de acordo com as necessidades dos usuários. A inexistência de uma percepção correcta, em relação a estas necessidades, torna praticamente impossível, a qualquer unidade hospitalar, prestar aos utentes o tipo de serviço que devem receber. A gestão de reservas em farmácia hospitalar representa um factor determinante para a melhoria da qualidade de serviço ao paciente. Uma área de administração hospitalar, cujo desempenho tem reflexos imediatos no quadro orçamental das unidades hospitalares.

Leia mais em Jornal de Angola

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
AngolaSociedade

Pescadores do cemitério de navios em Angola pescam sucata em vez de peixe

AngolaSociedade

Mais de 50 empresas angolanas interessadas em gerir aterro sanitário de Luanda

AngolaSociedade

Sobe para 10 número de mortos devido a bebida alcoólica adulterada em Luanda

AngolaPortugal

Cinco empresas portuguesas juntaram-se hoje à mega limpeza de Luanda

Assine nossa Newsletter