Luanda festeja sem “os milhares” de turistas - Plataforma Media

Luanda festeja sem “os milhares” de turistas

Na capital de Angola (Luanda), fundada em 1576, quando Paulo Dias de Novais desembarcou na Ilha do Cabo, existem locais muito interessantes que, desde finais de Março de 2020, milhares de turistas deixaram de visitar por conta das medidas impostas pela Covid-19.

O Miradouro da Lua, um conjunto de falésias a 40 quilómetros a sul do distrito da Samba, município de Luanda, é um desses locais, onde a erosão provocada pelo vento e pela chuva à paisagem de tipo lunar, na paragem obrigatória para quem se dirige de Luanda à Barra do Cuanza ou às praias do Cabo Ledo, deixavam-nos extasiados.

Os nove municípios que compõem a província de Luanda, Cacuaco, Belas, Cazenga, Icolo e Bengo, Luanda, Quiçama, Viana, Kilamba-Kiaxi e Talatona, apresentam, na sua maioria, pontos turísticos de encher os olhos, como a Fortaleza de São Miguel, localizada no antigo monte de São Paulo, no actual Morro da Fortaleza, nas proximidades da ponte da Ilha de Luanda.

Leia mais em Jornal de Angola

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
AngolaSociedade

Fortes ventos em Luanda provocaram uma morte

AngolaSociedade

“Luanda precisa de um roteiro turístico”

AngolaSociedade

Primeiras pessoas vacinadas não relatam efeitos colaterais

AngolaSociedade

Aumentam crianças arrastadas para as vigílias no “Morro dos Veados”

Assine nossa Newsletter